conecte-se conosco


Polícia

Delegada conclui inquérito e indicia empresário que agrediu influencer cuiabana

Publicado

A delegada Patrícia Fronza, da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso de Florianopólis, concluiu o inquérito policial do caso da influencer cuiabana Kedma Oliveira, e indiciou o empresário José Derli Júnior por lesão corporal qualificada, na segunda-feira (04).

“Ele foi indiciado pelo crime de lesão corporal, qualificada pela violência doméstica, art. 129, parágrafo 9 do Código Penal”, disse.

Fronza informou ao RepórterMT que o procedimento já foi encaminhado para o Ministério Público e o Judiciário de Florianópolis.

Kedma foi agredida pelo empresário, na noite de domingo (3), em uma casa em Balneário Camboriú, onde passava férias com o namorado José Derli, o enteado José Derli Júnior, e a esposa dele Wanessa Jacome. Depois de uma discussão, ela foi trancada no banheiro por Derli Júnior, e pediu ajuda pelas redes sociais, em um vídeo em que apareceu sangrando e machucada.

Segundo a delegada, o motivo da discussão não foi informado por nenhuma das partes, apenas que ela ocorreu. Derli Júnior foi preso em flagrante, e solto sob fiança de um salário mínimo, R$1.045.

Leia mais:  Polícia Civil prende mais dois por envolvimento em latrocínio de investigadora

Fronza explicou ao RepórteMT que, o empresário está sob liberdade provisória. Nesta modalidade enquanto responde às acusações, caso queria retornar para Capital, Derli Júnior precisará de uma autorização judicial.

Kedma solicitou uma medida protetiva, que foi deferida pelo Poder Judiciário. As partes devem ser intimadas nesta terça-feira (05).

Sim, ela requereu medida protetiva, que foi deferida ontem pelo Judiciário, porém ainda não tenho conhecimento se as partes já foram intimadas.

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Delegados de Mato Grosso ganham o maior salário do Brasil

Publicado

Um levantamento realizado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) mostrou que os delegados de Mato Grosso são os que ganham o maior salário da categoria no país. O salário mensal de um delegado da Polícia Civil no estado é de R$ 24,5 mil.

Enquanto o salário dos delegados de Mato Grosso é o maior do país, o vencimento de escrivães e investigadores – as outras carreiras da Polícia Civil-, está bem longe do primeiro lugar.

Para os escrivães, profissionais responsáveis pelo registro de ocorrências e pela documentação das investigações, o salário é de R$ 5,5 mil, o 11º no ranking brasileiro.

Já para os investigadores, policiais que coletam provas sobre os crimes, localizam e interrogam suspeitos e mantém a segurança dos locais de investigação, o vencimento inicial é de R$ 5,5 mil, o 9º maior na comparação com o mesmo cargo em outros estados.

Dados da Polícia Civil mostram que no quarto trimestre de 2020 havia 400 cargos para delegados, porém, 158 estavam vagos. Já para escrivão de polícia, são 1,2 mil vagas, mas só 2.056 ocupados. E para investigador são 4 mil vagas, com 1.944 cargos vagos.

Leia mais:  Idosa é estrangulada e espancada por filho bêbado enquanto servia o jantar

Por ser uma carreira típica de Estado, ou seja, que não podem ser substituída por profissional contratado, os cargos da Polícia Civil só podem ser ocupados através de concurso público. No entanto, para conseguir benefícios com o governo federal durante a crise, o Estado se comprometeu a não criar novos gastos até 2022, o que incluem os concursos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana