conecte-se conosco


Entretenimento

Dando novos temperos aos ritmos existentes, duo musical Bayo chega às paradas

Publicado

Depois de anos colaborando em bandas como Inkoma, Scambo e Bailinho de Quinta, Graco, ao lado da baixista Nina Campos, formam o duo Bayo e apresentam, em todas as plataformas digitais, ” Peixe
“, primeiro disco do projeto.

 Leia também: Infiel! Veja oito traições no mundo da fama que acabaram em música


Bayo, novo duo musical, chega com novos temperos musicais
Divulgação

Bayo, novo duo musical, chega com novos temperos musicais

Composto por sete músicas
autorais, o trabalho – que tem a cara e o sotaque baiano – mistura samba-reggae, riffs de guitarra e timbres eletrônicos. “Depois de alguns anos de pesquisa, o computador foi a plataforma que sustentou a construção desse álbum. É nele que fiquei horas editando, gravando e experimentando”, explica Graco, o vocalista do Bayo
.

Leia também: Mariana Furquim lança clipe de música e inicia novo momento de sua carreira

“Para humanizar o resultado, convidei o Japa System, do BaianaSystem, para gravar as percussões acústicas”, continua o musicista, que alega que as principais inspirações para o álbum foram o olodum, Caymmi, Bjork, Ramiro Musotto e Timbalada.

“Acho importante dizer que, nas harmonias e melodias, tentamos manter a simplicidade. O nosso som chega com esse olhar de alguém que sempre transitou no universo alternativo, mas não deixou de sofrer as influências da rádio, do carnaval e das festas de largo”, acrescenta. (continua).

Leia mais:  Sereia! Deborah Secco aparece de fio dental e encanta seguidores

Brasileiros dominando a gringa!


Becky G na premiação
Divulgação

Becky G na premiação

E não para por aí! Recentemente aconteceu a premiação Latin American Music Awards, e os brasileiros estavam por todos os cantos, desde as indicações às categorias, até as roupas dos convidados. A cantora mexicana Becky G, por exemplo, estava vestindo um look do estilista brasileiro Rapha Mendonça.

 Durante o evento, a cantora apresentou um dos prêmios a bordo de um terno branco em crepe de seda bordado com cristais Swarovski, da coleção Maison Alexandrine by Rapha Mendonça. O look levou mais de 75 horas para ser confeccionado e conta com 4 mil cristais bordados à mão.

Série nacional se destaca na TV fechada



Tomas Arthuzzi

“Rotas do Ódio”

Já na TV fechada as novidades são outras! Neste domingo (28), a partir das 23h00, a Universal TV
exibe o último episódio da segunda temporada de “Rotas do Ódio”, série que acompanha os desafios de uma delegacia especializada no combate aos crimes de ódio. No episódio, o crime de Jaqueline (Pathy Dejesus) é finalmente desvendado. A delegada Carolina (Mayana Neiva) e a equipe da DECRADI iniciam, então, uma corrida contra o tempo para prender o assassino.

Leia mais:  CCXP 2018: Brasileiro narra experiência de trabalhar com Harry Potter em painel

As músicas do Bayo!

Leia também: Músicas que viraram meme e encheram as redes sociais de humor

Encabeçando o álbum do Bayo
, a faixa-título Peixe
é uma parceria com Fábio Cascadura. Em seguida, Foir
chega para dar espaço para reflexão sobre as diversas lutas do dia a dia e todas as forças que transformam a vida. Já na faixa Oriente
, os autores falam sobre igualdade de gênero. Em seguida, na dançante Tromba D’Água
. Logo depois, a dança fica cargo de Tromba D’ Água
 e a instrumental RH1
. Encerrando, o projeto tem as músicas Vem Mergulhar
 e Paraguaçu
.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Aranha, Ondina e Padre Ramiro entram para a Irmandade em “O Sétimo Guardião”

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Sereia! Deborah Secco aparece de fio dental e encanta seguidores

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana