conecte-se conosco


Cidades

Covid-19: maioria dos estados segue sem aulas presenciais

Publicado

Com um indício de queda nas curvas de mortes e casos por covid-19, um dos principais temas nos processos de reabertura econômica e flexibilização do isolamento nos estados tem sido a situação das aulas nas redes de ensino. Até o momento, a maioria dos estados segue sem aulas presenciais.

As atividades pedagógicas presenciais recomeçaram primeiramente no estado do Amazonas, em agosto. Lá, a preocupação agora é com o monitoramento dos profissionais de educação e alunos, que vem ensejando uma disputa judicial entre professores e o governo estadual. A contenda também ocorre no Rio de Janeiro, em relação às aulas na rede privada.

No Rio Grande do Sul o calendário iniciou-se em setembro pela educação infantil, com previsão de término para novembro. No Pará, o governo autorizou aulas presenciais nas regiões classificadas nas bandeiras Amarela, Verde e Azul.

Rondônia adiou o início das aulas até o dia 3 de novembro. O Rio Grande do Norte suspendeu as aulas até o fim do ano. Em outros estados não há definição de data de retorno. Estão neste grupo Distrito Federal, Goiás, Pernambuco, Ceará, Alagoas, Maranhão, Bahia, Paraná, Mato Grosso, Acre e Roraima.

Leia mais:  Escola de Gestores promoverá formação continuada a 443 gestores escolares

Contudo, em alguns estados foi decretado o retorno das atividades pedagógicas remotas. O governo de Mato Grosso havia determinado a volta nessa modalidade para a educação básica no início de agosto, mesma situação do Amapá. No estado, as aulas em casa foram permitidas também para os alunos da Universidade Estadual (Ueap).

No Tocantins, o ensino remoto foi definido para os alunos do ensino fundamental da rede estadual no dia 10 de setembro. Em Alagoas, a retomada por meio de aulas remotas ocorreu no dia 17 de setembro. Em Minas Gerais, foi autorizado o retorno das aulas práticas dos cursos de saúde apenas, que passaram a ser consideradas serviço essencial.

No Rio de Janeiro, a volta às aulas na rede particular está em disputa judicial, enquanto a região metropolitana teve piora nos indicadores de risco para covid-19 e pode retroceder na classificação.

Veja abaixo o levantamento completo:
(Clique nos estados para ver o conteúdo)

Região Norte

 

Leia mais:  Reparo na malha viária do Residencial Buriti é iniciado

Comentários Facebook
publicidade

Cidades

Servidores do Estado e Prefeitura tomam ruas de Cuiabá em apoio a Emanuel

Publicado

Carreta partiu do Centro Político Administrativo e seguiu até o Porto com cerca de 2 mil carros, segundo organizadores

O Centro Político Administrativo, sede dos órgãos estaduais de Mato Grosso, foi tomado nesta manhã de sexta-feira (30) por centenas veículos de servidores estaduais e municipais, que promoveram carreata em apoio à reeleição do prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB).

O movimento de apoio dos servidores chamou a atenção pelo fato do governador Mauro Mendes (DEM) apoiar a candidatura de um dos principais adversários de Emanuel, o ex-prefeito Roberto França (Patriota), que busca o terceiro mandato.

Puxado por um trio e som, o movimento iniciou percorrendo a região do CPA, e seguiu para a Avenida Miguel Sutil e vai até a região do Porto, percorrendo a cidade de um lado ao outro.

Os servidores estaduais e municipais estão de folga nesta sexta-feira (30) devido aos decretos do Estado e do Município que adiaram o ponto facultativo de quarta-feira (28), referente ao Dia do Servidor Público, para esta sexta.

A duas semanas da eleição, que ocorre no próximo dia 15 de novembro, as campanhas dos oito postulantes ao comando do Palácio Alencastro devem ficar mais acirradas. Três candidatos aparecem liderando as pesquisas: o prefeito Emanuel, Roberto França e o vereador Abílio.

Leia mais:  Audiência para debater o transporte público acontecerá no dia 19 de dezembro

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana