conecte-se conosco


Política

Coordenadoria Militar guarda objetos perdidos na sede da Assembleia

Publicado

Foto: Fablício Rodrigues / Secretaria de Comunicação Social

A Assembleia recebe centenas de visitantes todos os dias. São servidores, pessoas que buscam atendimento no Espaço Cidadania, procuram gabinetes, vão participar de reuniões e acompanhar audiências públicas. Por isso, é comum que objetos e documentos sejam esquecidos em diferentes partes da sede da Assembleia.

Atualmente, a Coordenadoria Militar da Casa faz o trabalho de receber, guardar e devolver os itens aos donos. Desde o início deste ano, o setor lista em um livro todos os objetos entregues, assim como data, hora e local em que foram encontrados, além do nome de quem entregou e nome de quem recebeu. Documento, celular, carteira, agenda, cartão de banco, anel, casaco estão entre os itens mais comuns deixados na Assembleia.

A sub-tenente Juliana Elizabeth de Moraes Medeiros destaca que a Coordenadoria Militar só guarda objetos entregues para o setor ou para as guarnições de policiais da Casa. Ela lembra ainda que o serviço funciona 24 horas por dia, já que sempre há agentes de segurança no prédio e acompanhando eventos, inclusive os realizados no Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros.

Leia mais:  Concessionárias não podem cobrar taxa de estacionamento dos usuários

“É importante que as pessoas tenham a cultura de entregar o que encontram na Coordenadoria Militar”, recomenda a sub-tenente. Dessa forma, os itens ficam centralizados num único setor e as pessoas que buscam algo que perderam, sabem onde podem procurar. Isso se aplica tanto a servidores do Parlamento quanto ao público externo.

Juliana Medeiros também aconselha que os visitantes da Casa, que não são servidores, informem dados corretos na hora de fazer o cadastro para ter acesso ao prédio. De acordo com a policial militar, muitas pessoas não informam o número de telefone correto e isso dificulta e a devolução do objeto, ainda que seja identificado quem perdeu por meio das câmeras de segurança.

Para fazer a retirada do objeto, é preciso fazer sua descrição (modelo, marca, cor) e quando se trata de algo de valor também é necessário assinar um termo de recebimento. Os itens são guardados na Coordenadoria Militar até que é feita uma limpeza no início do ano. Os documentos são encaminhados aos Correios e os demais itens são descartados.

Leia mais:  Anvisa autoriza registro e produção de remédio à base de maconha no Brasil.

Espaço Cidadania – Os itens costumam ser esquecidos em auditórios, banheiros e também no Espaço Cidadania, por onde passam cerca de 300 pessoas todos os dias para solicitar ou retirar o documento de identidade (RG). De acordo com a gerente do setor, Rosinéia Mônica Leite, são encontrados documentos e pastas quase diariamente. “Como temos o contato da pessoa no nosso sistema, ligamos imediatamente”, explica.

Segundo Rosinéia Leite, os objetos costumam ser esquecidos nas cadeiras ou nos balcões de atendimento do Espaço Cidadania. Por isso, é importante que as pessoas prestem atenção e se certifiquem de que não deixaram nada nesses locais. Quando, apesar de avisado, o cidadão demora a buscar o documento perdido, ele é encaminhado para a Coordenadoria Militar da Assembleia.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
publicidade

Política

Congresso pode votar proposta de Orçamento na próxima semana

Publicado

por

O Congresso Nacional pode votar, na próxima terça-feira (17), a proposta orçamentária para 2020. A sessão para a votação do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 22/19 está marcada para as 14h30. Antes da análise por deputados e senadores no plenário, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) vota o relatório final da proposta às 11h.

O parecer preliminar apresentado pelo relator-geral do Orçamento, deputado Domingos Neto (PSD-CE), modificou parâmetros que serviram para as projeções de receitas e despesas e também incorporou efeitos de propostas ao texto original do Orçamento enviado pelo governo.

Segundo relatório preliminar aprovado pela Comissão, o texto prevê o total de R$ 3,6 trilhões para as projeções de receita e de despesa. Desse total, R$ 3,5 trilhões são dos orçamentos fiscal e de seguridade social, dos quais R$ 917,1 bilhões referem-se ao refinanciamento da dívida pública.

O relatório diz que o salário mínimo, em janeiro de 2020, passará dos atuais R$ 998 para cerca de R$ 1.031. O valor está abaixo dos R$ 1.039 inicialmente previsto.

Leia mais:  Concessionárias não podem cobrar taxa de estacionamento dos usuários

Em 2020, a meta fiscal para o resultado primário do governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) corresponderá a um déficit de R$ 124,1 bilhões.

Para 2020, a proposta orçamentária prevê ainda um crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,32%, pouco acima da expectativa do mercado (2,20%). A inflação prevista para o próximo ano, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), é de 3,53%.

Durante a votação, o colegiado rejeitou oito dos nove destaques apresentados ao texto. O único destaque aprovado elevou o fundo eleitoral de 2020 de R$ 2 bilhões para R$ 3,8 bilhões.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana