conecte-se conosco


Política

CONTRA ENCHENTES: Vereador quer que Cuiabá tenha bueiros inteligentes

Publicado

style””>O vereador de Cuiabá, Vinicyus Hugueney (PP), apresentou uma indicação ao Executivo para a implantação de bueiros inteligentes na cidade. O mecanismo visa impedir o entupimento das bocas de lobo e galerias pluviais, minimizando os alagamentos causados pelas chuvas que atingem a Capital. O parlamentar defende que a Prefeitura de Cuiabá realize um estudo para a instalação dos bueiros inteligentes em toda a cidade.

Hugueney explicou que o sistema atual de escoamento de água das chuvas apresenta falhas graves que geram os alagamentos. “O grande problema que temos hoje é que com as chuvas os bueiros atuais entopem, não cumprem sua função de escoar a água e criam um cenário de caos e destruição em toda a cidade, provocando muitos transtornos para a população”.

Os bueiros inteligentes são feitos com um material resistente com um cesto de lixo dentro da boca de lobo. “Este cesto age como uma peneira, barrando os resíduos e permitindo que a água passe para as galerias e, além disso, impedindo que aumente a poluição nos córregos e rios da cidade, o que também evita as enchentes”, pontuou o vereador.

Diversas cidades brasileiras já adotaram a medida e conseguiram minimizar os impactos das chuvas, comuns nesta época do ano. Ao longo do mês de dezembro, mais de 1 mil equipamentos serão instalados, por exemplo, no município do Rio de Janeiro. Outras cidades já iniciaram os estudos para implantação dos bueiros inteligentes. “Precisamos iniciar este projeto imediatamente. Tenho certeza que trará muitos benefícios para a nossa cidade e para a população”, finalizou Vinicyus.

Dados da Secretaria Municipal de Obras Públicas (SMOP) apontam para a existência de mais de 4 mil escoadouros de água na cidade. O número de bueiros gera uma alta demanda para as equipes responsáveis pela limpeza manual dos escoadouros, dificultando assim a manutenção adequada que poderia minimizar o número de alagamentos. A indicação foi encaminhada ao titular da SMOP, Vanderlúcio Rodrigues da Silva, além do prefeito, Emanuel Pinheiro (MDB).

Leia mais:  Reeducandos devem pagar sua  própria tornozeleira eletrônica; projeto chegou à AL

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Comentários Facebook
publicidade

Política

Congresso pode votar proposta de Orçamento na próxima semana

Publicado

por

O Congresso Nacional pode votar, na próxima terça-feira (17), a proposta orçamentária para 2020. A sessão para a votação do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 22/19 está marcada para as 14h30. Antes da análise por deputados e senadores no plenário, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) vota o relatório final da proposta às 11h.

O parecer preliminar apresentado pelo relator-geral do Orçamento, deputado Domingos Neto (PSD-CE), modificou parâmetros que serviram para as projeções de receitas e despesas e também incorporou efeitos de propostas ao texto original do Orçamento enviado pelo governo.

Segundo relatório preliminar aprovado pela Comissão, o texto prevê o total de R$ 3,6 trilhões para as projeções de receita e de despesa. Desse total, R$ 3,5 trilhões são dos orçamentos fiscal e de seguridade social, dos quais R$ 917,1 bilhões referem-se ao refinanciamento da dívida pública.

O relatório diz que o salário mínimo, em janeiro de 2020, passará dos atuais R$ 998 para cerca de R$ 1.031. O valor está abaixo dos R$ 1.039 inicialmente previsto.

Leia mais:  Senado aprova MP que estende gratificações a servidores na AGU

Em 2020, a meta fiscal para o resultado primário do governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) corresponderá a um déficit de R$ 124,1 bilhões.

Para 2020, a proposta orçamentária prevê ainda um crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,32%, pouco acima da expectativa do mercado (2,20%). A inflação prevista para o próximo ano, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), é de 3,53%.

Durante a votação, o colegiado rejeitou oito dos nove destaques apresentados ao texto. O único destaque aprovado elevou o fundo eleitoral de 2020 de R$ 2 bilhões para R$ 3,8 bilhões.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana