conecte-se conosco


Saúde

Constelação familiar, como ela pode lhe ajudar

Publicado

Costumo dizer que a constelação  familiar é uma tomada de consciência do tudo no todo. Bert Helling, o criador das constelações, relata que “a terapia familiar sistêmica, trata-se de averiguar se no sistema familiar ampliado existe alguém que esteja emaranhado nos destinos de membros anteriores dessa família”.

Quando estes emaranhamentos são trazidos a tona em uma Constelação em grupo, ou mesmo em uma constelação individual utilizando bonecos ou âncoras, a pessoa tem a possibilidade de visualizar melhor o seu problema e assim se libertar mais facilmente.

Este emaranhamento se materializa quando alguém da família revive ou retoma de forma inconsciente o destino ou o mesmo padrão de um familiar que viveu antes dele, pois estamos todos ligados. Já parou para pensar quantas pessoas vieram antes de você?

Pais, avós, bisavós, trisavós, tataravôs, uma imensidão de pessoas que viveram seus conflitos, dores, passaram por situações de exclusões, suicídios, assassinatos e muitas outras situações que nem ao menos sabemos.

Estes excluídos clamam por uma inclusão! Enquanto não for incluído ele ficará a procura de alguém que o honre e faça as mesmas coisas que fazia para ser visto. Quando honrado ele olha afetuosamente para os descendentes e, assim, uma força nasce para viver a vida da forma que ela se apresenta.

Leia mais:  53% das vítimas fatais da covid-19 em MT tinham pressão alta

Autor: Giovana Balth

Giovana Balth é Fisioterapeuta e Consteladora Sistêmica. Crefito: 259992-F. (65) 99955-0169  

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

China alerta para nova pneumonia mais mortal que a covid-19

Publicado

por

Nova epidemia já teria matado 1.772 pessoas e infectado mais de 100.000 pessoas no Cazaquistão. Governo local diz que alerta é equivocado

EXAME

Um novo surto de doença respiratória, potencialmente mais letal que a covid-19, pode estar  começando na Ásia. A embaixada chinesa no Cazaquistão alertou ontem seus cidadãos no país sobre uma nova “pneumonia desconhecida”. Segundo a China, no primeiro semestre deste ano 1.772 pessoas morreram da doença este ano, 628 delas apenas em junho. Cerca de 100.000 pessoas já teriam sido contaminadas.

“Essa taxa de mortalidade da doença é muito maior que a da covid-19 e as autoridades do Cazaquistão estão conduzindo um estudo comparativo do vírus sobre o qual ainda não há definição”, afirmou a embaixada chinesa, segundo o jornal South China Morning Post.

O ministro da Saúde do Cazaquistão respondeu nesta sexta-feira, pelo Facebook. Alexei Tsoi afirmou que a informação divulgada pela China é “incorreta”. Segundo ele, a conta oficial inclui todos os tipos de pneumonias já conhecidas, incluindo as causadas por vírus e bactérias. Ele não especificou quantos dos casos tratados como pneumonia podem na verdade ser de covid-19, nem entrou em detalhes sobre se há ou não uma nova doença em circulação no país.

Leia mais:  Santa Casa terá 20 novas UTIs a partir de sexta-feira

A Organização Mundial da Saúde afirmou ao diário chinês que tem conhecimento apenas da circulação da covid-19 no Cazaquistão, e que a doença causada pelo novo coronavírus pode explicar o aumento nos casos de pneumonia no país. O Cazaquistão tem oficialmente 50.000 casos de covid-19, e recentemente adotou medidas mais rigorosas de distanciamento social após um avanço no contágio — a quinta-feira foi o dia com mais novos casos, 1.962.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana