conecte-se conosco


Carros e Motos

Conheça a outra Kombi dos alemães

Publicado

Motor Show


Van Tempo Matador bege
Reprodução/Twitter

Tempo Matador foi produzido entre 1949 e 1952 com motor 1.1 de apenas 25 cv, sob op banco dianteiro


O hatch Gol foi equipado em seu lançamento, em 1980, com o motor VW a ar na dianteira. Mas não foi o único. No início dos anos 1950, a fabricante alemã Tempo produzia o Matador, que tinha uma proposta semelhante a da Kombi e usava o propulsor do utilitário da VW também posicionado na parte da frente do veículo.

LEIA MAIS: Kombi faz 60 anos: relembre versões icônicas que já foram vendidas no Brasil

O Matador foi produzido entre 1949 e 1952, nas carroceria picape e furgão. O motor 1.1 de 25 cv era posicionado sob o banco dianteiro e ficava atrás do tanque de gasolina (que ficava sob o para-brisa). Apesar da pouca potência, o fabricante destacava que a capacidade de carga do modelo era de 1.000 kg. Mais um ponto que aproximava a Kombi e o modelo da Tempo…

Essa semelhança entre o utilitário feito em Hamburgo e o carro produzido pela VW começou a incomodar a direção da fábrica de Wolfsburg, que não renovou o contrato de fornecimento de motores. Sem os propulsores, a Tempo interrompeu a produção do Matador “VW” após apenas 1.362 unidades.

Leia mais:  Quiz! Responda outras 10 perguntas sobre a indústria automotiva brasileira

LEIA MAIS: Volkswagen confirma que vai produzir a nova geração da Kombi

Mesmo assim, a VW, que fabricava a Kombi, não conseguiu matar o Matador. Usando motores fornecidos por outras empresas (como a britânica Austin) e sofrendo várias reestilizações, o Matador sobreviveria a duas fusões empresariais (primeiro com a compra da Tempo pela Hanomag, depois com a aquisição da Hanomag pela Mercedes-Benz) e sairia de linha apenas em 1977, já como Mercedes-Benz L 206 D.

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Conheça os 5 SUVs automáticos mais vendidos em agosto

Publicado

por

source

À medida que os preços dos carros em geral vão atingindo patamares cada vez mais altos, o público vai ficando mais exigente e alguns itens que antes eram corriqueiros vão desaparecendo no Brasil. Um deles é o câmbio manual, principalmente nos carros que custam acima de R$ 70 mil, como é o caso dos SUVs.

LEIA MAIS: Veja os 5 SUVs compactos mais econômicos com câmbio automático

No segmento de utilitários esportivos, mesmo nos compactos, sobraram poucas opções com pedal de embreagem, somente versões de Renault Duster, Peugeot 2008, Ford EcoSport, JAC T5, Lifan X60, entre outros poucos. Cerca de 90% dos SUVs vendidos atualmente no País já vem com caixa automática de série. Acompanhe a seguir, quais foram os 5 mais vendidos em agosto, conforme dados da Jato Brasil.

1 – Hyundai Creta

Hyundai Creta dourado arrow-options
Divulgação

Hyundai Creta 2020 ganhou retoques no desenho que deixaram o carro com aspecto um pouco mais arrojado

 O SUV da marca coreana ficou na frente dos rivais no mês passado nas vendas, com 6.553 unidades vendidas.  Teve a linha 2020 lançada no início de julho, com retoques no desenho que incluem grade dianteira e para-choques reestilizados, além de detalhes como antena na capota do tipo “barbatana” , lanternas mais transparentes e inclusão de itens de série.

Com preços que partem de R$ 80.900, o SUV pode ser equipado com motor 1.6, de 130 cv ou 2.0, de 166 .Ambos podem ser acoplado ao câmbio automático de seis marchas, mas sem hastes para trocas sequenciais no volante. Entre os destaques do Creta há a possibilidade de vir com bancos do motorista com ventilação, multimídia com TV digital e até chave presencial em forma de pulseira.

Leia mais:  Nissan Kicks, Mach, Versa e Frontier encarecem após novo reajuste de preços

2 – Jeep Renegade

Jeep Renegade azul arrow-options
Divulgação

Jeep Renegade é líder de vendas no acumulado ano, mas ficou em segundo lugar entre os automáticos em agosto

 O SUV compacto da Jeep lidera das vendas do segmento no acumulado dos oito primeiros meses ano, de acordo com o balanço mensal da Fenabrave (Federação dos Distribuidores de Veículos), com 44.024 unidades, seguido do Compass, com 39.046 e do Creta, que teve 36.195 unidades vendidas. Mas ficou atrás do concorrente da Hyundai no mês passado, com 4.886 unidades vendidas em agosto.

Com a chegada da linha 2020, também em julho, o Jeep deixou de ter versão manual, antes oferecida na básica Sport, com motor 1.8. Com preços que partem de R$ 89.990, o carro mudou pouco em relação ao ano anterior com a inclusão de lanternas traseiras com LED no lugar de lâmpadas e com versões mais equipadas de série. 

3 – Jeep Compass

Jeep Compass vermelho arrow-options
Divulgação

Jeep Compass ficou um pouco abaixo do Renegade nas vendas, mas no patamar acima de 4 mil unidades

 Maior e mais caro que o Renegade, o SUV médio da Jeep ficou em terceiro lugar no ranking de vendas do segmento de utilitários esportivos automáticos no mês passado, com 4.843 unidades. Na linha 2020 passou a ter mais equipamentos em todas as versões, com preços que partem de R$ 116.990. Nesse patamar de preço, câmbio manual fica totalmente fora de cogitação.

LEIA MAIS: Confira 5 SUVs seminovos que valem a pena ter na garagem, por até R$ 60 mil

O Compass está disponível em cinco versões (Sport, Longitude, Limited, Trailhawk e S) e com os motores 2.0 flex de 166 cv (com câmbio automático de seis marchas e tração 4×2) e 2.0 turbodiesel de 170 cv (com câmbio automático de nove marchas e tração 4×4). A nova versão top de linha S, que sai por R$ 195.990 vem até com teto solar panorâmico.

Leia mais:  Quiz! Responda outras 10 perguntas sobre a indústria automotiva brasileira

4 – VW T-Cross

VW T-Cross azul arrow-options
Divulgação

VW T-Cross é o lançamento mais recente dos cinco modelos da lista e tem boas vendas nas versões mais equipadas

Dos cinco modelos que aparecem entre os SUVs automáticos mais vendidos em agosto, o modelo da marca alemã é o lançamento mais recente. Teve 4.120 unidades vendidas, a maioria nas versões mais equipadas. Sem pedal de embreagem, o carro parte de R$ 94.490 com motor 1.0 turbo, de 128 cv e itens como sensores nos para-choques, acendimento automáticos dos faróis e controles eletrônicos de estabilidade e tração de série. 

Na bem procurada versão mais equipada Highline, o T-Cross vem com motor 1.4 turbo flex, de 150 cv e equipamentos como rodas de aro 17 polegadas, bancos revestidos de couro, central multimídia com tela sensível ao toque, retrovisores externos rebatíveis, porta-malas com sistema de ajuste variável, entre outros.

5 – Honda HR-V

Honda HR-V branco arrow-options
Divulgação

Honda HR-V, assim como o Renegade, deixou de ter versão com câmbio manual. SUV está disponível apenas com CVT

Num patamar de vendas próximo dos concorrentes, o modelo da marca japonesa ficou em quinto entre os SUVs automáticos mais vendidosem agosto, com 4.054 unidades. A principal novidade da linha 2020 foi o lançamento da versão Touring com motor 1.5 turbo e itens exclusivos, como dupla saída de escape na traseira, teto solar, faróis full LED e partida por botão, mas com preço de R$ 139.900.

 LEIA MAIS:  Confira 5 versões de SUVs compactos que não compraríamos

O HR-V é outro modelo de SUV compacto que deixou de ter versão manual no Brasil. Sua versão mais em conta, a LX, sai por R$ 94.400 e vem com motor 1.8, de 140 cv acoplado ao câmbio CVT. E equipamentos como rodas de liga-leve de aro 17 (iguais aos do topo de linha), freio de estacionamento eletrônico, mas com ar-condicionado manual e bancos de tecido.

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana