conecte-se conosco


Mato Grosso

Comitê do Fogo realiza 1ª reunião do ano com enfoque na prevenção

Publicado

O Comitê do Fogo iniciou as reuniões de preparação e planejamento para o período crítico de queimadas florestais em Mato Grosso nesta semana. A 1ª reunião ordinária aconteceu na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e teve a participação de vários órgãos e instituições públicas e privadas e Organizações Não Governamentais.

Entre os temas abordados na reunião estão o planejamento 2019 de prevenção e combate a incêndios florestais, planejar ações e prever recurso para o PPA 2020/2023 e estabelecer a forma como cada órgão, de acordo com suas responsabilidades, contribuirão no planejamento dos meses que antecede o período proibitivo de queimadas. Uma das formas das entidades contribuírem é a preparação de cursos de combate a incêndio florestal, qualificação de brigadistas e planejamento da Semana de Prevenção e Preparação para os incêndios florestais nos municípios.

“O trabalho de planejamento para a prevenção e combate a incêndios florestais é de extrema importância. É preciso juntar esforços para atingir o resultado no combate ao fogo, principalmente na época crítica. As instituições parceiras trabalham tanto no planejamento quanto no trabalho em campo, o que traz impacto a qualidade de vida da população”, destacou o secretário adjunto executivo da Sema, Alex Marega, na abertura da reunião.  

Leia mais:  Dois são presos em ‘boca de fumo’ com drogas, rádios comunicadores e bicicleta de luxo

O Estado está na 3ª fase do Plano de Prevenção e Combate à Incêndios Florestais, que traz o planejamento das ações de prevenção, preparação, controle, resposta rápida e responsabilização às queimadas ilegais em Mato Grosso. “O planejamento é realizado de forma integrada com os diversos órgãos federais, estaduais, municipais, entidades não governamentais, iniciativa privada e sociedade em geral, reduzindo os danos materiais e ambientais, os prejuízos econômicos e de saúde da população”, explicou o  secretário Executivo do Comitê Estadual de Gestão do Fogo, cel BM Paulo Barroso.

O plano de combate aos incêndios florestais é dividido em partes e de acordo com o cronograma as fases são: Planejamento, janeiro e fevereiro; Prevenção, entre março e outubro; Preparação, de maio a julho; Prevenção ativa, Combate e Responsabilização, entre maio e outubro; Responsabilização, Avaliação e Correção,  novembro e dezembro.

Uma das novidades para 2019 é o planejamento para o início da queima prescrita em unidades de conservação, atividade que tem o apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio) e já é realizada com sucesso pelo instituto federal há alguns anos. A prática é usada para facilitar o controle da queimada durante o período crítico e evitar a ocorrência de grandes incêndios. As vantagens incluem desde a conservação ambiental até a redução de emissão de CO2 e economia para os cofres públicos.

Leia mais:  Artigo: Passando a limpo

Paulo Silva, do Instituto Federal de Defesa do Meio Ambiente, destaca que é o primeiro ano que a ONG participará como parceira no planejamento para prevenção e controle de Incêndios Florestais e estará colaborando com a área de capacitação. “A proposta é capacitar a comunidade para que eles sejam agentes ambientais e possam identificar áreas e situações de risco de forma a orientar os órgãos responsáveis de atuar no combate e prevenção”.

Sobre o Comitê

O Comitê Estadual de Gestão do Fogo promove ações de prevenção, monitoramento e controle das queimadas e dos incêndios florestais, visando reduzir a incidência desses eventos em Mato Grosso. O grupo é presidido pela Sema e a secretaria executiva é de responsabilidade do Corpo de Bombeiro Militar (CBMMT), por meio do Batalhão Especial de Emergências Ambientais (BEA). Integram o grupo instituições públicas, empresas privadas, ONGs e entidades de classe.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

"Se Mato Grosso for ajudado, ajudaremos o Brasil" diz governador para ministro

Publicado

por

O governador Mauro Mendes afirmou ao ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes, que Mato Grosso pode ajudar muito o Brasil, se o Governo Federal realizar investimentos em logística no Estado.

“O que for feito em infraestrutura para esse Estado, ele vai devolver em forma de arrecadação, exportação e balança comercial. Nos ajude que nós vamos ajudar o Brasil”, disse o governador, acrescentando que a ampliação da malha ferroviária e a viabilização de rodovias importantes para o Estado irão promover uma revolução para todas as regiões do Estado.

Na cidade de Água Boa, durante audiência pública, realizada no fim da tarde de sexta-feira (14.06), sobre a implantação da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), o governador apresentou números que confirmam que com investimentos por parte do governo federal nas rodovias federais e na malha ferroviária, o Estado poderá contribuir ainda mais para o crescimento da economia brasileira.

Entre as reivindicações apresentadas pelo governador ao ministro, está pavimentação da BR-158, em seu trajeto original. “Como brasileiro, me deixa muito indignado essa história da BR-158. Como é que pode uma estrada que existe a quanto tempo, 50, 60 ou mais de 100 anos e agora, não podemos ter a estrada pavimentada”, disse, lembrando que nesses cinco meses completos como governador já recebeu no Palácio Paiaguás muitas etnias indígenas e todas querem o mesmo que todos os cidadãos do Estado, “educação, saúde, internet e estrada pavimentada”.

Leia mais:  Dois são presos em ‘boca de fumo’ com drogas, rádios comunicadores e bicicleta de luxo

“A ligação das outras cidades com a BR-158 é uma responsabilidade nossa, enquanto Estado, e nós vamos fazer as ligações. Mas, não podemos permitir que umas poucas pessoas, ligadas a ONGs internacionais que defendem produtores americanos, que defendem outros interesses e não os nossos, imponham essa derrota ao povo desse Estado”, ressaltou.

Outra reivindicação é relacionada a duplicação das BRs 163 e 364, além da pavimentação da BR-174. 

“Esse tema da logística é um dos mais importantes para Mato Grosso, no momento. Nenhuma região do Brasil, ou melhor, nenhuma região do planeta, tem hoje as condições que esse estado tem de crescer nos próximos anos, produzindo alimentos para alimentar o Brasil e o mundo, e o mais importante, preservando o meio ambiente. Nenhuma região produtora do planeta tem a capacidade de dobrar a produção de alimentos preservando a meio ambiente. Por isso, precisamos de estradas, de logística e que o governo federal reconheça isso e a importância de Mato Grosso para a economia nacional”, destacou.

O ministro Tarcísio afirmou ao governador que Mato Grosso é prioridade para o Governo Bolsonaro, pela pujança e potencial. “A gente quando vem para cá e vê o que viu aqui, é tomado pelo senso de urgência e muitas coisas estão sendo planejadas. Eu acho que é o Estado que vai seguramente receber a maior quantidade de investimentos”, afirmou.

Leia mais:  Programa oferecerá mais de R$ 5 milhões em prêmios este ano

Sobre a Fico, o ministro afirmou que no próximo ano a ferrovia irá sair do papel e a obra terá início. “Vamos concluir essa obra até o fim da gestão Bolsonaro”, garantiu. Ele também se comprometeu a realizar um estudo pela viabilidade da concessão da BR-158.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana