conecte-se conosco


Sem categoria

Comissão rejeita emenda que prevê concursos públicos para segurança pública

Publicado

Durante a 67° reunião extraordinária remota, realizada na segunda-feira (14), a emenda 43 proposta para a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2021 pela Comissão de Segurança e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que dispõe sobre o lançamento de edital para concursos públicos da área de segurança pública de Mato Grosso, foi rejeitada pela Comissão Constituição, Justiça e Redação (CCJR).

 

Os concursos públicos seriam para atender a Polícia Judiciária Civil (PJC), Polícia Militar (PM), Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) de Mato Grosso. De acordo com o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) que preside a Comissão de Segurança Pública e Comunitária da ALMT, o valor estimado para abertura dos editais seria de R$ 6 milhões de reais, cujo recurso seria retirado da área de publicidade e propaganda do Programa 131, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

“Essa emenda rejeitada é uma situação preocupante já que nas visitas realizadas nos 13 pólos regionais da Região Integrada de Segurança Pública (Risp) de Mato Grosso, a Comissão identificou a carência de efetivo nas instituições. O valor que propusemos seria para ser injetado nos concursos públicos. Eu peço o destaque e voto favorável para a nossa emenda 43 para que a gente possa debater em plenário, até mesmo, fazer uma alteração na redação final da LOA 2021”, salienta Claudinei.

Leia mais:  Prazo para donos de veículos com placas de final 2 e 3 pagarem o IPVA acaba nesta sexta-feira em MT

 

O parlamentar recorda o desgaste tanto da Assembleia Legislativa quanto do governo estadual para que não ocorresse o fechamento de 16 delegacias de Mato Grosso, em 2019, e essa situação foi concretizada. “Já tem um estudo da diretoria geral da PJC para fechar mais delegacias. A partir de 2021, vai gerar novamente aquele desgaste. Vamos ter que promover audiência pública, chamar os prefeitos, os vereadores e representantes da sociedade organizada, para estarem com a gente para debater sobre este assunto. Nós precisamos abrir pelo menos o edital, nem que nomeie este pessoal em 2022”, explica o presidente da Comissão de Segurança Pública.

 

Claudinei exemplifica que tem município com apenas um policial militar atendendo no interior do estado. “Estes municípios distantes, divisa com Pará, com o Amazonas, com o Tocantins, há apenas um policial militar para atender a unidade ou o destacamento, o outro fica de sobreaviso. Se chegar a quadrilha do ‘novo cangaço’, este policial vai ter que correr por falta de armamento e efetivo, pois vai estar sozinho, para encarar 10 a 20 bandidos, assaltantes de banco, infelizmente”, denuncia o parlamentar.

Leia mais:  Ex-deputado de MT é condenado a 7 anos de prisão por contratar empregados com dinheiro da Câmara Federal

 

A reunião da CCJR contou também com a participação dos deputados Dr. Eugênio (PSB), Silvio Fávero (PSL), Wilson Santos (PSDB), Lúdio Cabral (PT) e Sebastião Rezende (PSC).

 

Emendas

No início do mês, os deputados estaduais da Comissão de Segurança apresentaram na 5ª reunião quatro emendas para a LOA ao secretário de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp), Alexandre Bustamante. Além do lançamento dos editais de concursos públicos para a segurança pública, também, foram propostos a nomeação de aprovados dos Sistemas Socioeducativo e Penitenciário, construções e reformas de unidades da Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec) existentes em Mato Grosso.

Comentários Facebook
publicidade

Sem categoria

Vendas de veículos novos caem 26% em 2020 e setor tem pior resultado desde 2016

Publicado

Foram emplacados 2,05 milhões de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Pandemia do coronavírus interrompeu sequência de crescimento, mas Fenabrave prevê alta de 16% em 2021.

As vendas de veículos novos caíram 26,16% em 2020, segundo resultados divulgados nesta terça-feira (5) pela Fenabrave, a associação dos concessionários. Foi a primeira queda nas vendas em 4 anos e o maior tombo anual desde 2015, reflexo da pandemia do coronavírus.

Foram emplacados 2.058.315 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Como comparação, em 2019 foram 2.787.618. Em 2016, foram 2.050.240 unidades.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, a queda em 2020 foi menor que a esperada e o resultado só não foi melhor pelos problemas com falta de peças e componentes enfrentado pelas fabricantes.

“Os principais fatores que influenciaram nessa melhora, principalmente a partir do segundo semestre, foram a manutenção da taxa de juros, em um patamar baixo e o Auxílio Emergencial, oferecido pelo Governo Federal, que colaboraram para o aquecimento do comércio e para a baixa inadimplência”, disse Alarico.

Leia mais:  Mauro já comanda reunião com staff
Vendas de veículos novos no Brasil — Foto: Economia G1

Com o retorno pleno do funcionamento das atividades econômicas, dezembro registrou as maiores vendas do ano, com 194.679 veículos vendidos e crescimento de 8,43%. O melhor número anterior havia sido em novembro, com 177.561 unidades.

O presidente da associação também aponta para a falta de disponibilidade de veículos no mercado, como reflexo da pandemia. Para ele, por isso, a recuperação “não foi suficiente para superar os resultados do último trimestre de 2019”.

Previsões para 2021

 

A entidade espera um crescimento gradual das vendas para este ano, projetando uma alta de 16% para automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, sobre os resultados de 2020. As previsões se baseiam na expectativa de crescimento do PIB e na retomada da economia.

“Esperamos poder recuperar, aos poucos, o mercado, mas ainda há incertezas e fatos que podem repercutir nas nossas projeções”, aponta Alarico Assumpção Júnior.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana