conecte-se conosco


Tecnologia

Com Play Store proibida na China, Xiaomi e Huawei se unem; entenda

Publicado

Olhar Digital

Xiaomi arrow-options
Reprodução

Xiaomi


Huawei , Xiaomi , Oppo e Vivo estão trabalhando juntos em uma plataforma que vai permitir que desenvolvedores de fora da China enviem seus aplicativos para todas as respectivas lojas de aplicativos simultaneamente. Os fabricantes se uniram sob a Global Developers Service Alliance (GDSA) no que parece ser uma tentativa de desafiar o domínio internacional da Play Store do Google.

A loja de aplicativos da empresa americana é proibida na China , então, os usuários do Android se acostumaram a baixar aplicativos de várias lojas diferentes. Porém, fora do país a Play Store reina com folgas. Esse quase monopólio significa que as lojas de aplicativos de terceiros tiveram problemas com o suporte a desenvolvedores internacionais. É nesse ponto que a GDSA pretende atuar.

Leia também: Huawei não depende mais do Google, diz gerente da empresa

O site, ainda protótipo, observa que seus serviços estão planejados para nove países e regiões, incluindo Índia, Indonésia, Rússia e Malásia . A Reuters aponta que, mesmo cada empresa sendo forte em regiões diferentes, como Xiaomi na China e Huawei na Europa , juntas, elas controlam mais de 40% do mercado mundial de smartphones . A nova plataforma tornaria mais fácil para os desenvolvedores fazerem upload de seus aplicativos em todas as lojas ao mesmo tempo.

Leia mais:  Satélite revela raio com mais de 500 quilômetros de comprimento

A Huawei é a maior prejudicada pelo domínio global do Google . A chinesa perdeu sua licença para oferecer aplicativos e serviços da empresa. Por conta disso, a companhia decidiu não lançar o Mate 30 , seu último carro-chefe, internacionalmente. Além disso, a Huawei anunciou que está trabalhando no seu próprio sistema operacional , o Harmony OS , investindo US$ 1 bilhão, cerca de R$ 4,2 bilhões, no seu desenvolvimento.

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

WhatsApp deixa de mostrar status ‘online’ e ‘visto por último’, relatam usuários

Publicado

O WhatsApp se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter nesta sexta-feira (19) depois que usuários perceberam mudanças inusitadas em seu funcionamento. O aplicativo de mensagens deixou de mostrar o status “online”, “visto por último”, “digitando” e “gravando áudio” em suas conversas. Ao atualizar o aplicativo mudanças serão percebidas.

As novidades deixaram os internautas confusos sobre um possível erro no sistema, já que a empresa de Mark Zuckerberg não anunciou as atualizações. Antes, os usuários do aplicativo conseguiam apenas optar por desabilitar a função de “visto por último” e a de “confirmação de leitura” nas configurações de privacidade.

REUTERS/Thomas White

Segundo o site Downdetector, que monitora o relato de erros em redes sociais, o número de reclamações sobre o mau funcionamento do Whatsapp começou às 13h e atingiu seu pico às 14h.

Downdetector gráfico

Gráfico do Downdetector mostra pico de reclamações sobre mau funcionamento do WhatsApp

Entre os afetados pelas alterações repentinas, existem os que ficaram felizes pela maior privacidade e aqueles que lamentaram a falta de informações sobre seus contatos. E ainda no final da tarde desta sexta, alguns perfis no Twitter também começaram a relatar o retorno da visualização do status.

Leia mais:  Soluçãopara desenvolvimento de softwares muda o jogo para empresas brasileiras

Já entre os concorrentes, o Telegram ironizou a suposta falha no sistema, convidando os insatisfeitos com as novidades a “convidarem um amigo para ficar online” no aplicativo.

Procurada pela CNN, a assessoria do WhatsApp ainda não respondeu ao contato para explicar as mudanças.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana