conecte-se conosco


Brasil / Mundo

China planeja lua artificial para iluminar zonas urbanas

Publicado

PEQUIM
A China planeja lançar uma lua artificial até 2020 para substituir a iluminação urbana e reduzir os custos de energia elétrica nas cidades, informa a imprensa estatal.

Chengdu, uma cidade da província de Sichuan (sudoeste), está desenvolvendo satélites brilhantes que iluminarão, em conjunto com a lua real, mas que serão oito vezes mais luminosos, afirma o jornal China Daily.

A primeira lua feita pelo homem deve partir do Centro de Lançamento de Satélites Xichang em Sichuan, indicou Wu Chunfeng, diretor da organização responsável pelo projeto, a Tian Fu New Area Science Society.

Em caso de sucesso, outras três luas artificiais serão lançadas em 2022.

Lua brilha na cidade chinesa de Suzhou, na província de Jiangsu
Lua brilha na cidade chinesa de Suzhou, na província de Jiangsu – Xinhua/Hang Xingwei
O primeiro lançamento terá caráter experimental, mas os satélites lançados em 2022 serão reais e terão um grande potencial cívico e comercial, explicou Wu ao jornal China Daily.

Ao refletir a luz do sol, os satélites podem substituir a iluminação urbana em cidades, uma economia de 1,2 bilhão de yuanes por ano (US$ 170 milhões ou R$ 629 milhões) em energia elétrica na cidade de Chengdu quando a lua artificial iluminar uma área de 50 quilômetros quadrados.

Leia mais:  Bolsonaro divulga redução dos juros do cheque especial a partir de segunda-feira

A fonte de luz alternativa também pode ajudar nos trabalhos de resgate em zonas que sofreram desastres e que registram cortes de energia elétrica.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com Wu nem com o grupo Tian Fu New Area Science Society para confirmar a informação.

A China não é o primeiro país que tenta captar luz solar. Nos anos 1990, cientistas russos usaram espelhos gigantes para refletir a luz do espaço, em um projeto experimental chamado Znamya ou Banner.

AFP

Comentários Facebook
publicidade

Brasil / Mundo

Cartórios já podem autenticar documentos por meio digital

Publicado

Os cartórios brasileiros já podem autenticar documentos por meio eletrônico. O novo serviço possibilitará a certificação de cópias de forma online pelo site

A novidade vem para complementar a digitalização de outros serviços que já estavam sendo prestados na plataforma de atos notoriais eletrônicos chamada e-Notoriado. Entre eles, assinaturas digitais de escrituras, procurações por videoconferência, atas notariais e testamentos, bem como separações e divórcios extrajudiciais.

Segundo o Colégio Notarial do Brasil (CNB), órgão responsável por gerir o módulo da Central Notarial de Autenticação Digital (Cenad), o novo recurso permite “a materialização e a desmaterialização” de autenticações em diferentes cartórios. Dessa forma, torna mais rápido o envio do documento certificado para pessoas ou órgãos, além de verificar de forma segura a autenticidade do arquivo digital.

A Cenad foi é o único meio nacional válido para a autenticação digital de documentos. Para tanto, será necessária a apresentação de um documento originalmente físico, junto a algum cartório de notas, para que ele seja digitalizado para, então, ser enviado para autenticação.

Leia mais:  Bolsonaro divulga redução dos juros do cheque especial a partir de segunda-feira

Segundo a presidente do CNB, Giselle Oliveira de Barros, o novo procedimento permite ao usuário trabalhar com o documento eletrônico, mas com segurança jurídica.

“Após o documento ser autenticado pela Cenad, ele pode ser enviado eletronicamente (emailwhatsapp ou qualquer outra ferramenta) a órgãos públicos ou pessoas físicas e jurídicas para a concretização de negócios, tendo o mesmo valor que o documento original, físico ou digital, apresentado pelo cidadão”, informou.

Como acessar o serviço

Para acessar esse serviço, “o usuário deve solicitar a autenticação digital a um tabelionato de notas de sua preferência e enviar o documento por e-mail, caso o original seja digital. Se o documento a ser autenticado for físico, é necessário levar o impresso ao cartório para digitalização e autenticação.

Ao receber o documento por meio da plataforma, que segue as normas de territorialidade para distribuição dos serviços, o tabelião verifica a autenticidade e a integridade do documento”, informa o CNB.

A autenticação notarial gera um registro na plataforma, com dados do notário ou responsável que a tenha assinado, a data e hora da assinatura, e código de verificação. “O usuário receberá um arquivo em PDF assinado digitalmente pelo cartório. O envio do arquivo poderá ser feito por e-mailWhatsApp ou outro meio eletrônico”, finaliza.

Leia mais:  Inflação 2019: olhe as maiores altas e maiores baixas e o que pesou mais no bolso

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana