conecte-se conosco


Mato Grosso

CGE denomina auditório de Gilson de Barros

Publicado

Gilson Duarte de Barros. Este é o nome do auditório da Controladoria Geral do Estado (CGE-MT). A portaria (nº 053/2018/CGE) instituiu a denominação foi publicada no Diário Oficial do Estado de 24/10/2018.

Trata-se de uma homenagem ao secretário-chefe da então Auditoria Geral do Estado (AGE), no período de 1991 a 1994, quando comandou trabalhos importantes, como as auditorias que identificaram rombos milionários nos extintos Ipemat, Cemat, Casemat e Aeromat.

O filho de Gilson de Barros, o juiz de Direito Gonçalo Antunes de Barros Neto, compartilhou a portaria nas redes sociais. “Obrigado a todos desse importante órgão governamental, em especial ao secretário José Celso Dorilêo Leite (CGE), pela homenagem a Gilson Duarte de Barros. Como filho e eterno admirador, fico muito honrado, assim como toda a nossa família”, comentou ele. 

A repercussão da homenagem foi positiva. “Merecida homenagem”, pontuou a desembargadora Maria Helena Gargaglione Póvoas 

“Parabéns pela justa homenagem. Precisamos resgatar a memória dos homens públicos que honraram a República. Gilson de Barros fez política com idealismo e amor à pátria”, comentou o economista Vicente Vuolo.

Leia mais:  Governo do Estado institui Plano Diretor da Região do Vale do Rio Cuiabá

“Homenagem mais que justa ao meu querido amigo Gilson de Barros, homem público de primeira grandeza”, comentou o jornalista Mauro Camargo.

“Homenagem merecida ao maior orador da Câmara Municipal de Cuiabá, com quem muito aprendi”, destacou o escritor Moisés Martins. 

“Parabéns, muito merecido! O Estado reconhecendo aquilo que o povo fez por várias vezes”, disse o ex-prefeito de Barra do Garças, Zózimo Chaparral. 

Combativo

Conhecido como Xerife e Hulk, devido a seu jeito enérgico e combativo, Gilson de Barros chegou a ser ameaçado de morte por causa dos trabalhos desenvolvidos na então AGE. Enfrentou também uma tentativa política de extinção do órgão. 

“Por tudo o que tem feito e até pela natureza das suas funções, a Auditoria Geral do Estado tem incomodado muita gente. É natural, portanto, que existam pessoas corruptas ou protetoras de corruptos, tentando sua extinção. Mas tal propósito é um absurdo, tanto do ponto de vista técnico, como administrativo, político e ético”, declarou Gilson de Barros em 26 de setembro de 1991, em face dos rumores de extinção.

Leia mais:  PM prende suspeito e apreende 200 tabletes de droga em Cuiabá

Apesar dos boatos, que não se concretizaram por pressão popular e da imprensa, o então secretário-auditor não esmoreceu. Permaneceu na função até o encerramento da gestão do então governador Jayme Campos. 

Biografia 

Gilson Duarte de Barros nasceu em Cuiabá, em 28 de fevereiro de 1941. Formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal do Mato Grosso, foi também sargento do Exército Brasileiro, jornalista e radialista. 

Ocupou, interinamente, o cargo de secretário de Estado de Fazenda no governo de José Fragelli (1970-1974) e foi membro do Conselho Estadual de Transporte. 

Foi vereador por Cuiabá na década de 1970 e deputado federal por Mato Grosso por dois mandatos, de 1979 a 1987. 

Seu último cargo público foi de ouvidor-geral do Estado de Mato Grosso, entre os anos de 2003 e 2008. Gilson de Barros faleceu em Cuiabá, no dia 7 de março de 2008, aos 67 anos, vítima de infarto.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Servidor é preso por roubar pneus novos utilizados em caminhões e retroescavadeiras

Publicado

Foram desviados pelo menos 12 pneus novos utilizados em caminhões e retroescavadeiras, causando um prejuízo de aproximadamente R$ 35 mil.

Um servidor público suspeito de desviar pneus de veículos da prefeitura de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, prestou esclarecimentos na delegacia do município. Segundo a Polícia Civil, ele deve responder pelo crime de peculato.

As investigações começaram no dia 22 de março, quando o prefeito Adilson Gonçalves de Macedo registrou um boletim de ocorrência denunciando o suposto desvio.

O delegado Wilyney Santana Borges disse que várias buscas foram realizadas, até que o suspeito acabou confessando o crime. Em depoimento, ele contou que os pneus foram repassados para um comerciante como parte do pagamento na aquisição de um carro dele de luxo.

Os pneus desviados eram de veículos da Secretaria Municipal de Urbanismo.

De acordo com a polícia, nas investigações, foi apurado que pneus adquiridos para serem utilizados nas automóveis da secretaria foram desviados nos meses de novembro e dezembro de 2020, por um servidor  que exercia funções no setor de frotas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Leia mais:  Parcerias promovem qualificação com reeducandas de Nova Xavantina e Nortelândia

Segundo o delegado, os indícios apontados no inquérito indicam que foi possível constatar o desvio de pelo menos 12 pneus novos utilizados em caminhões e retroescavadeiras, causando um prejuízo de aproximadamente R$ 35 mil.

A Polícia Civil informou que o investigado pela venda dos pneus deverá responder ação penal pelo crime de peculato, vez que na época dos desvios, exercia o cargo de funcionário público. Já o comerciante que recebeu os pneus desviados, em troca de pagamento, responderá pelo crime de receptação.

A delegacia de Barra do Garças continua as investigações para saber se havia a conivência ou participação de outros servidores municipais, envolvidos no caso dos pneus desviados.

Por G1 MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana