conecte-se conosco


Política

CCJR analisou 22 projetos em reunião ordinária nesta terça-feira

Publicado

Foto: Ronaldo Mazza

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Assembleia Legislativa de Mato Grosso realizou na tarde desta terça-feira (16) sua 13ª reunião ordinária. Os deputados analisaram 22 propostas, 17 foram aprovadas e cinco rejeitadas. Outras duas matérias foram retiradas de pauta.

O Projeto de Lei Complementar nº 5/2018, que altera dispositivos da Lei Orgânica da Defensoria Pública, foi uma das propostas que recebeu parecer favorável da comissão. O órgão ainda é tema do Projeto de Lei nº 206/2018, também aprovado durante a reunião, que dispõe sobre estrutura organizacional, quadro de pessoal e plano de carreira dos servidores.

“São algumas mudanças sem acarretar impacto financeiro para melhorar a estrutura da Defensoria”, explica o presidente da CCJR, Max Russi (PSB). O PLC nº 5/2018 agora segue para Plenário para ser votado em redação final, já o PL nº 206/2018 será encaminhado para segunda votação também no Plenário.

Os parlamentares também aprovaram, por exemplo, o Projeto de Resolução nº 602/2018. A matéria tem o objetivo de definir os quóruns de votação do Parlamento. No caso de o quórum exigido representar um número não inteiro, será considerado o número inteiro superior ao do número quebrado. “Não vai ter mais dúvidas em relação a isso”, completa Russi.

Leia mais:  Política de empoderamento da mulher recebe parecer favorável na ALMT

O deputado ainda destacou a aprovação do Projeto de Lei nº 254/2018, que declara de utilidade pública a Casa de Apoio Vinde Hospedaria Rotativa. “É uma casa que recebe pessoas do interior que procuram serviços públicos na capital. Isso garante alguns benefícios importantes em relação a impostos”, afirma Russi.  

Foram retirados de pauta o Projeto de Lei nº 186/2016 (Mensagem nº  25/2016), que dispõe sobre o Conselho Estadual de Desenvolvimento Empresarial (Cedem) e o Projeto de Lei nº 572/2017, que declara Patrimônio Cultural de Mato Grosso o queijo cabacinha produzido em Alto Araguaia.  

Participaram do encontro dessa terça-feira os deputados Max Russi, presidente da comissão, Oscar Bezerra (PV), Dilmar dal Bosco (DEM), além do deputado Wilson Santos (PSDB).

Comentários Facebook
publicidade

Política

Deputado assina TAC e promete não realizar mais festas

Publicado

O deputado estadual Faissal Calil (PV) assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Estadual (MPE) no qual se compromete a não realizar festas em sua residência, localizada no bairro Shangri-lá em Cuiabá, que excedam o volume de som permitido na “Lei do Silêncio”. O desrespeito à norma renderá multa no valor de R$ 3 mil.

“Se abster, a partir desta data, de produzir nos eventos realizados em sua residência ou sob sua responsabilidade, ruídos em níveis tais que possam resultar em danos à saúde humana”, diz o promotor 17ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural de Cuiabá, Gerson Natalício Barbosa.

 

De acordo com o TAC, chegou ao conhecimento da promotoria de Justiça que o deputado realizou uma festa para comemorar a vitória do vereador Marcus Brito Jr. (PV), que é seu aliado político. O termo de compromisso foi assinado no dia 15 de dezembro.

Ainda consta no documento que as celebrações são realizadas com frequência no local. “De acordo com a notícia, as festas organizadas pelo senhor Faissal Jorge Calil Filho são recorrentes e causam grande perturbação à vizinhança”.

Leia mais:  Bolsonaro diz que não fará demarcação de terras indígenas

 

Veja vídeo da festa 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana