conecte-se conosco


Mato Grosso

Case de Lucas do Rio Verde realiza primeira doação de hortaliças produzidas na unidade

Publicado


O Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Lucas do Rio Verde (360 km de Cuiabá) realizou a primeira doação de produtos orgânicos que foram cultivados pelos servidores da unidade. A entrega das hortaliças foi realizada nesta segunda-feira (14.09), no Hospital municipal São Lucas, que atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).  

Foram construídos canteiros e plantados: rúcula, alface e cheiro verde. O cultivo gerou bons resultados, com a primeira colheita de rúcula. A gerente regional do Case de Lucas do Rio Verde, Natielle Tais Santana Alves Kuhn, explica que esse era um projeto antigo que por conta do início da pandemia precisou ser adiado. Ela ressalta que este projeto é modelo desenvolvido pelos adolescentes da unidade.  

“É muito importante proporcionar esse ambiente aos adolescentes, pois por meio desse projeto, eles conseguem adquirir experiência e futuramente ser até mesmo uma fonte de renda. A horta, o contato com a terra, proporciona a sensação de calma, relaxamento, o bem-estar, assim como, combate a ansiedade e depressão”, pontuou Natielle Kuhn.

Leia mais:  Simpósio vai debater expansão, avanços e desafios das escolas militares em MT

Com o resultado positivo, a próxima etapa é levar este projeto que será executado pelos adolescentes em conflito com a lei. Uma oportunidade social que pode se transformar em uma futura atividade de trabalho dentro desta área.

O projeto da horta na unidade foi implementado em julho deste ano e desenvolvido pelos servidores socioeducativos e administrativos, além de contar com apoio da Defensoria Pública e do Horto Florestal do município.

(Com supervisão de Carlos Celestino)

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Seduc esclarece comunidade sobre mudanças em escolas do Grande Cristo Rei

Publicado


A secretaria de Estado de Educação esclarece que o redimensionamento da Educação Básica é uma ação de planejamento da rede pública estadual e municipal. É feito com base nas necessidades e particularidades de cada município.

Em Várzea Grande, a Seduc vai ceder o prédio da Escola Heroclito Leôncio Monteiro, no bairro Cristo Rei, para o município de Várzea Grande. O redimensionamento, neste caso, também envolve a Escola Estadual Dom Bosco, localizada na mesma região. Para tirar dúvidas da comunidade escolar e explicar como será essa etapa do redimensionamento, a Seduc realizou uma reunião na unidade nesta terça-feira (21.09).

Hoje, a Escola Heroclito Leôncio Monteiro possui 492 estudantes matriculados, sendo 241 nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 251 nos anos finais do Ensino Fundamental.

A Escola Dom Bosco atende 639 alunos, sendo 291 nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 348 nos anos finais.

Planejamento para 2022

Recebendo o prédio da Escola Heroclito, a partir de 2022, o planejamento da secretaria municipal de Educação é atender estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental e vai abrir matrículas para crianças de 4 e 5 anos.

Leia mais:  Governo efetua pagamento de mais R$ 1 milhão para custeio de UTI

Além dos 241 alunos dos anos iniciais que já estão na escola, vai receber os 291 da Escola Dom Bosco.

A Escola Dom Bosco continuará atendendo os 348 estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental e receberá os 251 dos anos finais da Heroclito.

Entenda o redimensionamento

O redimensionamento cumpre a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – 9.394/96), que passou a ser estruturada por etapas e modalidades de ensino, englobando a Educação Infantil, o Ensino Fundamental obrigatório de nove anos e o Ensino Médio.

Trata-se da organização dos alunos que estão na mesma etapa/modalidade em uma única unidade escolar, otimizando, assim, o espaço existente, ampliando o número de vagas, buscando garantir o acesso à educação básica.

O reordenamento das estruturas físicas de educação inclui a cessão de uso de escolas aos municípios, transferência de alunos para outras unidades e entrega dos prédios alugados pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Nos casos da cessão aos municípios, o Governo dará todo suporte, inclusive financeiro, com as reformas necessárias.

Leia mais:  Diretores de escolas relatam desafios do ensino especial

Profissionais

O profissional pedagogo pode escolher se permanece na escola que for cedida ao município ou se quer ser atribuído para outra unidade da rede estadual. Vale destacar que o profissional que permanecer na unidade, o Estado fará um termo de cooperação com o município. Esse profissional não terá nenhum prejuízo em sua carreira, continua com o mesmo subsídio e pode participar dos processos seletivos da Seduc.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana