conecte-se conosco


Política

Caixa libera saque de R$ 500 do FGTS para 8,8 milhões nesta sexta

Publicado

A Caixa Econômica Federal vai liberar a partir desta sexta-feira (8) o saque de até R$ 500 do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para 8,8 milhões de trabalhadores nascidos em abril e maio. Nesta etapa, o banco prevê a distribuição de R$ 3,4 bilhões.

O chamado saque imediato faz parte de uma medida emergencial do governo para tentar aquecer a economia.

Nessa modalidade de saque, todos os trabalhadores que têm saldo em contas ativas ou inativas do FGTS podem realizar a retirada de até R$ 500, sem que isso prejudique o resgate do valor total do fundo nas ocasiões previstas em lei, como na demissão sem justa causa.

Trabalhadores com poupança na Caixa tiveram os valores automaticamente disponibilizados em suas contas. Os demais podem realizar os saques de acordo com o calendário de pagamentos organizado conforme o mês de nascimento.

Para facilitar o atendimento, 2.381 agências da Caixa terão horário estendido nesta sexta (8) e na segunda-feira (11).

Nas localidades em que as agências abrem habitualmente entre 9h e 11h, o atendimento ao público será antecipado em uma hora. A lista das agências com horário especial de atendimento está no site fgts.caixa.gov.br.

Leia mais:  AL derruba veto de projeto que incentiva produção de cerveja artesanal em MT

Até o dia 5 de novembro, foram pagos mais de R$ 17,4 bilhões do saque imediato do FGTS para cerca de 41,3 milhões de trabalhadores, o que representa 43% dos 96 milhões de contemplados pela medida.

Regras da modalidade de saque

O trabalhador que optar pelo saque imediato continua com o direito de retirar todo o saldo da conta do FGTS, caso seja demitido sem justa causa ou nas demais regras previstas em lei, como a aposentadoria.

O saque de até R$ 500 por conta, ativa ou inativa, do FGTS também não significa adesão ao saque-aniversário nem a perda do direito à multa rescisória de 40%.

Nos saques feitos na agência, não haverá a cobrança de tarifa quando o trabalhador optar por transferir o valor para outro banco.

O calendário termina em dezembro, com o pagamento para nascidos nos meses de novembro e dezembro.

Os trabalhadores, independentemente do mês de aniversário, terão até o dia 31 de março de 2020 para pegar o dinheiro.

Caso o saque não seja feito até essa data, os valores retornam para a conta de FGTS do trabalhador.

Leia mais:  Campanha chamará atenção sobre abandono de idosos

A Caixa possui uma central de atendimento telefônico para tirar dúvidas sobre o saque imediato do FGTS. O número é o 0800-7242019.

Comentários Facebook
publicidade

Política

Representantes de sindicatos discutem impactos da reforma da Previdência com deputados

Publicado

por

A preocupação é do governador Mauro Mendes (DEM) encaminhar uma proposta de Reforma da Previdência estadual, fazendo adesão à PEC federal 6/2019, que modifica o sistema de previdência social

Foto: Marcelo Lucas / Assessoria de Gabinete

Presidentes de sindicatos dos delegados, investigadores, escrivães, agentes penitenciários e do sistema socioeducativo estiveram reunidos com os deputados estaduais Delegado Claudinei (PSL) e Elizeu Nascimento (DC), na tarde de segunda-feira (18), na sede da Associação Mato-grossense de Delegados de Polícia de Mato Grosso.

Na pauta, a preocupação com a possibilidade do governador Mauro Mendes (DEM) encaminhar uma proposta de reforma da Previdência estadual, fazendo adesão à PEC federal 6/2019, que modifica o sistema de previdência social, estabelece regras de transição e disposições transitórias.

“Na verdade, hoje os policiais têm aposentadoria especial e, na reforma da Previdência, nós não visualizamos como será o tratamento atribuído à polícia. E, por conta disso, estamos preocupados e precisamos conversar com o governo para saber qual tratamento ele dará aos policiais de Mato Grosso”, destaca a presidente do Sindicato de Delegados de Polícia de Mato Grosso (Sindepo-MT), Maria Alice Amorim.

Leia mais:  Mourão diz que haverá enxugamento gradativo do funcionalismo

Para o deputado Delegado Claudinei, a categoria policial é diferenciada e merece tratamento à altura da natureza da profissão. “Estive como delegado de polícia e sei como a rotina do profissional de segurança pública é estressante. Perdemos muitas noites de sono, sofremos pressão todos os dias, ficamos ausentes da nossa família, é muito estresse. O tempo que trabalhamos, estamos na mira de facções criminosas. Então, é uma categoria diferenciada”, ressalta o Delegado Claudinei.

Sargento aposentado da Polícia Militar, o deputado estadual Elizeu Nascimento disse que o caminho é a mobilização das categorias. “Temos que nos posicionar. Existe ainda a possibilidade de aumentar a alíquota previdenciária. Estamos juntos em defesa do servidor público”, finaliza.

Também participaram da reunião, o advogado Carlos Frederick, representando o deputado estadual João Batista (Pros); a presidente e o vice-presidente do Sindicato de Investigadores de Polícia de Mato Grosso (Sinpol-MT), respectivamente, Edleuza Mesquita e Gláucio Castañon; o presidente do Sindicato dos Escrivães da Polícia Judiciária de Mato Grosso (Sindepojuc-MT), Davi Nogueira; a presidente do Sindicato do Sistema Penitenciário de Mato Grosso (Sindspen-MT), Jacira Maria da Costa; o presidente do Sindicato da Carreira dos Profissionais do Sistema Socioeducativo do Estado de Mato Grosso (Sindpss), Paulo César, e demais profissionais das classes representadas.

Leia mais:  Deputados aprovam projeto que regulamenta sistema digital na ALMT

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana