conecte-se conosco


Política

Botelho revela que Mendes pediu para que ele siga na Mesa Diretora

Publicado

O presidente da Assembleia Legislativa deputado Eduardo Botelho (DEM), afirmou nesta terça-feira (23) que o governador Mauro Mendes (DEM) pediu para que ele continue ocupando um cargo na nova formação da Mesa Diretora da Casa de Leis.

Uma nova eleição para Mesa ocorrerá nesta terça, às 19h, após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, destituir Botelho da presidência. Ele acatou um pedido do partido Rede Sustentabilidade que pedia liminar contra a recondução do democrata ao cargo.

LEIA MAIS: STF suspende eleição que reelegeu Botelho à presidência da ALMT

Em uma nova composição, Botelho faria uma inversão com o atual primeiro-secretário Max Russi (PSB), que viria agora como presidente.

LEIA MAIS: Nova chapa para a Mesa Diretora da ALMT deve ter Russi, Botelho e Janaína; Barranco fica de fora

“A princípio estamos conversando para eu ir para a primeira secretaria, mas não está fechado. Posso sair também, não tem problema nenhum. Os deputados estão pedindo para eu ficar e eu estou avaliando”, disse Botelho à imprensa.

Leia mais:  Deputado Thiago Silva acompanha início das obras no anel viário de Rondonópolis

“Há uma confiança em mim. O tempo que eu passei aqui na presidência, o que eu fiz foi dizer não. Ganhei a confiança dos deputados dizendo não”, completou.

Botelho minimizou as críticas do colega de parlamento, Silvio Fávero (PSL), sobre o possível “troca-troca” na Mesa.

“Vamos continuar o que está aí porque está dando certo, economizando, devolvendo dinheiro, sem rolo aqui dentro. Devolvemos R$ 80 milhões, começamos o ano devolvendo dinheiro e ainda temos em caixa. O caminho é esse aí mesmo”

Questionado sobre deixar a Casa de Leis para assumir uma cadeira de conselheiro no TCE-MT, Botelho disse que não existe essa possibilidade. “Inclusive o pedido do governador é para que eu fique na Assembleia. O momento não é para decisões”, concluiu.

FERNANDA ESCOUTO/  hipernoticia

Comentários Facebook
publicidade

Política

Após denúncia de falsa aplicação, MPMT quer que municípios guardem frascos vazios de vacina

Publicado

Para evitar possíveis desvios de estoque de vacinas contra a Covid-19, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) recomendou aos municípios de Cuiabá e Rondonópolis que adotem o controle de frascos após o esvaziamento das doses e confiram a quantidade de unidades antes do descarte

No documento, os promotores de Justiça destacam a importância da adoção de medidas para evitar irregularidades não só na organização do estoque, mas também em relação à aplicação dos frascos da vacina.

“A sugestão apresentada é para que sejam definidos protocolos de transparência na aplicação das vacinas contra a Covid-19, nos quais o usuário possa verificar a entrada e saída do imunizante, com a dose em seu interior antes da aplicação e vazia após sua inserção”, destacou o MPMT.

Na terça-feira (23), uma família de Cuiabá, denunciou que o idoso Benedito Barros Santiago, 88 anos, não teria sido realmente vacinado. O momento da imunização foi gravado e compartilhado nas redes sociais. Entretanto, conforme os familiares quando a agulha é retirada do braço do idoso, o líquido ou parte dele continuou na seringa.

Leia mais:  Secretário e deputado batem boca durante audiência na AL

De acordo com a fotógrafa Jakeline Zaiden, parente de Benedito, ele teria sido vacinado em 12 de fevereiro no Centro de Eventos do Pantanal.

“Duas amigas me disseram para olhar novamente o vídeo alertando que ele não teria sido vacinado. Enquanto eu aguardava os 15 minutos para ver se não tinha contrarreação, eu vi que foi algo bem rápido e não foi completo. Eu falei com outros profissionais de saúde e me disseram que não foi aplicado”, disse a mulher em entrevista à TV Centro América.

Jakeline ressaltou que devido às dúvidas, a família decidiu procurar o MPMT.

Por meio de nota, a Prefeitura de Cuiabá informou que as imagens foram encaminhadas às autoridades policiais competentes para análise e perícia. Conforme a pasta, a decisão foi tomada para que não haja o risco de se cometer uma injustiça com os profissionais de Saúde envolvidos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana