conecte-se conosco


Tecnologia

Black Mirror? Aplicativo de namoro é desenvolvido com base no DNA dos usuários

Publicado

Olhar Digital

Aplicativo de namoro arrow-options
Unsplash/Afif Kusuma

Aplicativo de relacionamento visa diminuir doenças


Os geneticistas de Harvard possuem uma lista com diversos objetivos a serem alcançados no campo da pesquisa genética. Dentre suas pretensões estão reverter o envelhecimento humano e até mesmo ressuscitar um mamute. Mas também há ideias em outros campos, como criar um aplicativo de namoro que mostre a probabilidade de não transmitir doenças .

A ideia dos pesquisadores é desenvolver um aplicativo com base no DNA , que mostra a possibilidade dos usuários transmitirem qualquer categoria de doença para seus filhos. Para entender como isso funciona, é preciso conhecer um pouco sobre alguns conceitos de herança genética. Mais precisamente, sobre genes dominantes e recessivos.

Leia também: Aplicativo de traição mostra que usuários são fiéis… aos seus empregos

Como os nomes já dizem, os genes dominantes têm precedência sobre os recessivos – o que significa que se duas pessoas têm um bebê e uma delas possui um gene dominante para uma característica e a outra possui um gene recessivo, é provável que o gene dominante se manifeste no bebê.

Leia mais:  Nova ferramenta promete impulsionar influenciadores brasileiros no Pinterest

Em um exemplo simplificado: o gene da cor dos olhos castanhos é dominante, enquanto o azul é recessivo; portanto, se uma pessoa de olhos castanhos e uma de olhos azuis tiver um filho, provavelmente ele terá olhos castanhos.

Algumas doenças e condições genéticas são causadas por genes recessivos. Uma pessoa comum carrega cerca de 20 genes recessivos, mas na maioria das vezes nem o conhece porque também herdou um gene dominante “saudável” de seus pais, o que acaba por limitar a ação desse gene.

Leia também: Fala de políticos com o crush? Tinder revela nomes mais citados no app nos EUA

Entretanto, se um portador de um gene recessivo causador de uma doença acaba tendo um bebê com alguém que carrega o mesmo gene, seus filhos têm 25% de chance de sofrer da doença – e essa é uma situação que o aplicativo de namoro quer evitar.

Em uma entrevista ao programa 60 minutes da CBS , George Church, geneticista que defende a criação do polêmico aplicativo , declarou que ele vai servir para “descobrir com que você é compatível”. Entretanto, vale lembrar que ainda estamos longe de um mundo em que todas as pessoas tenham seu DNA sequenciado – esse processo pode levar décadas para ser concluído. Inclusive o mapeamento genético no Brasil é algo recente e sem grande escala por ora.

Leia mais:  Google mostra rastreamento de encomendas direto na busca

Ainda que a criação desse aplicativo possa parecer boa para alguns, ele apresenta uma ideia utópica um pouco longe da realidade. Afinal, algumas pessoas parecem não estar dispostas a deixar que seus dados genômicos determinem com quem eles devem iniciar uma família. Além do fato de que há a possibilidade de dois portadores de um gene recessivo para uma doença terem um filho saudável.

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

WhatsApp deixa de mostrar status ‘online’ e ‘visto por último’, relatam usuários

Publicado

O WhatsApp se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter nesta sexta-feira (19) depois que usuários perceberam mudanças inusitadas em seu funcionamento. O aplicativo de mensagens deixou de mostrar o status “online”, “visto por último”, “digitando” e “gravando áudio” em suas conversas. Ao atualizar o aplicativo mudanças serão percebidas.

As novidades deixaram os internautas confusos sobre um possível erro no sistema, já que a empresa de Mark Zuckerberg não anunciou as atualizações. Antes, os usuários do aplicativo conseguiam apenas optar por desabilitar a função de “visto por último” e a de “confirmação de leitura” nas configurações de privacidade.

REUTERS/Thomas White

Segundo o site Downdetector, que monitora o relato de erros em redes sociais, o número de reclamações sobre o mau funcionamento do Whatsapp começou às 13h e atingiu seu pico às 14h.

Downdetector gráfico

Gráfico do Downdetector mostra pico de reclamações sobre mau funcionamento do WhatsApp

Entre os afetados pelas alterações repentinas, existem os que ficaram felizes pela maior privacidade e aqueles que lamentaram a falta de informações sobre seus contatos. E ainda no final da tarde desta sexta, alguns perfis no Twitter também começaram a relatar o retorno da visualização do status.

Leia mais:  Anúncios políticos: Facebook e Instagram vão oferecer mais controle a usuários

Já entre os concorrentes, o Telegram ironizou a suposta falha no sistema, convidando os insatisfeitos com as novidades a “convidarem um amigo para ficar online” no aplicativo.

Procurada pela CNN, a assessoria do WhatsApp ainda não respondeu ao contato para explicar as mudanças.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana