conecte-se conosco


Política

Bandido que arrancou coração da tia enforca e tenta matar preso

Publicado

Lumar Costa da silva, 28 anos, que estava preso em Sorriso por assassinar e arracancar o coração da tia, tentou matar enforcado outro preso, identificado pelas iniciais  R.R.S, 19 anos, durante transferência dos dois para o presídio Ferrugem, no início da tarde de quarta-feira (17), em Sinop (500 km da Capital).

Segundo informações, um dos agentes penitenciários que fazia o transporte dos presidiários teria ouvido gritos de socorro vindos de dentro do camburão, ao conferir o que estava acontecendo, flagrou Lumar enforcando o outro.

Ao ser advertido pelo agente, Lumar disse que iria quebrar o pescoço de R.R.S. O motivo da briga entre os dois não foi informado.

Não há informações se ele ficará em cela separada dos outros presidiários, ou se irá conviver no meio comum entre os presos.

De acordo com o delegado de Polícia Civil em Sorriso, André Ribeiro, que ouviu os depoimentos de Lumar, no caso do assassinato da tia, em que ele arrancou o coração e entregou para a filha dela, o preso é considerado de alta periculosidade e não tem condições de conviver em nenhum meio social. “É um monstro esse cara, um animal”, disse o delegado revoltado.

Leia mais:  Bolsonaro celebra independência dos EUA em embaixada no Brasil

À imprensa local,o assassino disse sem arrependimentos que assassinou a tia porque ela mereceu e ainda que ouvia vozes do Universo.

O caso 

Lumar morava de favor na casa da tia Maria Zélia em Sorriso, após ter se mudado para Mato Grosso por tentar matar a mãe com um facão em São Paulo.

Nos primeiros dias na casa da tia, ele tentou assediar a neta dela, de apenas 7 anos. Após isso, a senhora ainda descobriu o envolvimento do sobrinho com as drogas, então teria pedido para que ele arrumasse outro lugar para ficar, pois não aceitava a situação.

Comentários Facebook
publicidade

Política

Presidente fala sobre expectativa de votação em retorno dos trabalhos em Plenário

Publicado

por

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), afirmou na manhã desta segunda-feira (27), que a expectativa é grande para o retorno dos trabalhos em Plenário, na próxima semana, com uma sessão solene na segunda-feira (3) e sessões ordinárias na terça, quarta e quinta-feira.

“A expectativa é muito grande. Vamos instalar o retorno dos trabalhos numa sessão solene na próxima segunda-feira (3). Depois disso, as sessões serão normais na terça, quarta e quinta-feira. Esta semana já vamos iniciar as discussões com as categorias em torno das regras da aposentadoria. Temos várias agendas esta semana para iniciarmos os debates”, disse Botelho.

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (DEM), informou nesta segunda-feira (27) que os trabalhos em Plenário serão retomados na próxima semana. "A Assembleia está funcionando normalmente e os trabalhos de 2020 dos deputados será reaberto com uma sessão solene na próxima segunda-feira (03)".

Conforme Eduardo Botelho, além da questão da previdência, existem alguns projetos pendentes e vetos que não foram votados no ano passado. “Temos também o Cota Zero, que não foi votado no ano passado e, ainda, novas regras da aposentadoria".

Leia mais:  Elizeu Nascimento apresenta indicação para retomada de obras em colégio de Cuiabá

Botelho também adiantou que os deputados precisam votar em Redação Final o o projeto aumento da alíquota previdenciária do funcionalismo de 11% para 14%. "Não acredito em mais alterações, acho que o projeto está encerrado e será votado em última votação sem problemas”, disse.

“Quanto ao Cota Zero, estamos contratando uma empresa para fazer estudos e iniciarmos as discussões, mas realmente é um projeto polêmico”, disse o presidente.

O presidente Eduardo Botelho, num rápido comentário, disse que o fato de estarem previstas duas eleições este ano, a suplementar ao Senado da República e as eleições para prefeitos e vereadores, não vai prejudicar os trabalhos em plenário. “Se tivermos deputados candidatos, isso altera um pouco, se não tiver, não altera muito. Então nós vamos trabalhar para ver como vai ficar essa questão aqui no Parlamento. Inicialmente não altera nada. A eleição de prefeito o deputado participa mais porque é uma exigência da base, mas a de Senado, não”, adiantou.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana