conecte-se conosco


Polícia

Autor de roubo de caminhonete em Nova Xavantina tem prisão cumprida no Maranhão

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil de Nova Xavantina (645 km a Leste) identificou e localizou o autor do roubo de uma caminhonete, ocorrido no mês de fevereiro deste ano no município. Após representação pela prisão preventiva em desfavor do suspeito Jonathan Gomes da Silva, a ordem judicial foi decretada pelo Poder Judiciário do município.

Durante trabalho investigativo, a equipe de investigadores da Delegacia de Nova Xavantina descobriu que o suspeito estava foragido na cidade de Sitio Novo, no estado do Maranhão. Diante da informação, os policiais civis entraram em contato com a Polícia Militar da cidade e trocaram informações sobre o ocorrido.

De posse do mandado de prisão, a Polícia Militar do Maranhão, na segunda-feira (20.05), prendeu o suspeito e recuperou a caminhoneta S10 de cor preta, produto do roubo. A vítima entrou em contato com a Polícia do Maranhão a fim de retirar o veículo. O suspeito foi encaminhado ao presídio local, ficando à disposição da Justiça.

Roubo

O crime de roubo ocorreu no mês de fevereiro em um bar, no bairro Tonetto, em Nova Xavantina. Após ingerir bebida alcoólica no estabelecimento, o suspeito não tendo o dinheiro para quitar a comanda, pediu para que a vítima o acompanhasse até sua residência, a fim de pegar o dinheiro.

Leia mais:  Procurado pela justiça no PA é preso pela PRF em MT

No local, o suspeito pegou uma mochila e de posse de uma faca anunciou o assalto e tentou golpear a vítima, subtraindo seu veículo e tomando rumo ignorado.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Equipe Especial interroga esposa de cabo em investigações das interceptações ilegais

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Civil, por meio da Equipe Especial, designada exclusivamente para conclusão dos inquéritos sobre as interceptações ilegais, ouviu em interrogatório, na tarde desta quarta-feira (18), a esposa do Cabo Gerson Correa, para esclarecimentos sobre questões apuradas nas investigações.

A delegada Ana Cristina Feldner informou que a mulher (E.M.O) aparece em algumas situações, como assinatura de fiadora no contrato de locação da sala usada para fazer as escutas ilegais, além da conta de internet usada no escritório clandestino estar em seu nome. Também por ter levado um aparelho celular ao cabo quando ele estava preso na Rotam. E ainda sobre a origem de um valor de R$ 35 mil, emprestado pelo cabo a um amigo.

Conforme a delegada, todas as informações serão analisadas, inclusive se  a mulher  tinha conhecimento e envolvimento com a organização criminosa investigada. Ela  alegou que acredita na inocência de seu marido.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Leia mais:  Diretor Metropolitano entrega elogios para delegacias da Regional de Várzea Grande
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana