conecte-se conosco


Brasil / Mundo

Aumenta em 32% a população que se declara preta no Brasil

Publicado

De 2012 a 2018, número de declarados pretos aumentou em quase 5 milhões no país. População branca segue encolhendo e pardos seguem sendo maioria.

Em 2018, o Brasil tinha 19,2 milhões de pessoas que se declararam pretas – 4,7 milhões a mais que em 2012, o que corresponde a uma alta de 32,2% no período. É o que revela um levantamento divulgado nesta quarta-feira (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

À exceção de 2014, quando o número de pretos se manteve estável em relação ao ano anterior, anualmente tem aumentado o percentual da população declarada da raça preta. Trata-se, portanto, de uma tendência.

“O motivo específico para o aumento dessa declaração, de fato, a gente não tem. O que a gente percebe é que nos últimos anos houve reforço das políticas afirmativas de cor ou raça”, apontou a analista do IBGE.

 

A pesquisadora enfatizou que o levantamento, feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), é realizado a partir da percepção de cor e raça do entrevistado. “Não é o entrevistador que determina a cor, é o informante que declara”, disse.

Na contramão, diminui ano a ano a população declarada branca, que em 2018 somava 89,7 milhões de brasileiros, contra 92,2 milhões em 2012. Os brancos foram maioria no país até 2014. Desde 2015, os pardos passaram a representar a maior parte da população – saltou de 89,6 milhões em 2012 para 96,7 milhões em 2018.

Leia mais:  Gastos autorizados com fundo eleitoral são maiores polêmicas de projeto aprovado

“Além da possível mudança na percepção da população quanto a cor e raça decorrente das politicas afirmativas, temos que considerar o próprio processo de miscigenação no país, que faz que tenhamos um maior percentual de pardos”, ponderou a pesquisadora.

Divisão percentual (%) da população brasileira por cor ou raça
Desde 2015, pardos são maioria no país.
Brancos: 43,1Pardos: 46,5Pretos: 9,3
Fonte: IBGE

Questionada se tal tendência – de aumento das populações preta e parda e queda da branca – deve se manter por mais tempo, a pesquisadora disse não ser possível afirmar.

“A gente não sabe se todo esse crescimento é baseado nas políticas afirmativas de cor e raça. Se for, vai depender da continuidade dessas políticas. Cria-se uma cultura nas pessoas que foram atingidas pelas referidas políticas e estas repassam o posicionamento delas em relação à própria cor para as demais pessoas, mesmo que estas não sejam beneficiadas diretamente”, ponderou.

Mais idosos, menos jovens

Outra tendência enfatizada pela pesquisa é o de envelhecimento da população brasileira. Em 2018, 10,5% dos brasileiros tinham 65 anos ou mais. Em 2012, este grupo correspondia a 8,8% da população.

Em sete anos, população idosa aumentou em 4,5 milhões de pessoas no Brasil — Foto: Elias MedeirosEm sete anos, população idosa aumentou em 4,5 milhões de pessoas no Brasil — Foto: Elias Medeiros

Em sete anos, população idosa aumentou em 4,5 milhões de pessoas no Brasil — Foto: Elias Medeiros

Em números absolutos, são 21,9 milhões de brasileiros idosos, 4,5 milhões a mais que em 2012. Este quadro, segundo a analista do IBGE, aponta para a necessidade de se investir em políticas públicas voltadas à população mais velha.

Leia mais:  Confiança do Consumidor cai 2,9 pontos em maio

“Esse envelhecimento da população desperta na sociedade a necessidade, por exemplo, de um atendimento de saúde voltado especificamente para as pessoas idosas. Ele denota a necessidade de se estruturar, nem digo no longo prazo, mas já, um atendimento de saúde que tenha capacidade de corresponder às necessidades dessas pessoas”, disse Adriana Beringuy.

No outro lado da pirâmide etária, 23,3% da população tinha menos de 13 anos de idade em 2018.

“É contingente muito significativo de pessoas que vão entrar daqui a pouco em idade para trabalhar. Ou seja, é uma massa de pessoas que brevemente vai estar entrando no mercado. Qual a política pública que está sendo feita para atender a essa população?”, questionou a pesquisadora.

Distribuição percentual da população brasileira por faixa de idade

0 a 4 anos 6,8 6,3
5 a 9 anos 7,3 6,6
10 a 13 anos 6,8 5,7
14 a 15 anos 3,6 3,0
16 a 17 anos 3,6 3,2
18 a 19 anos 3,4 3,2
20 a 24 anos 8,1 7,7
25 a 29 anos 8,1 7,2
30 a 39 anos 15,5 15,9
40 a 49 anos 13,4 13,8
50 a 59 anos 10,7 12,0
60 a 64 anos 4,0 4,9
65 anos ou mais 8,8 10,5

Comentários Facebook
publicidade

Brasil / Mundo

Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio de R$ 23 milhões

Publicado

por

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília)

A Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (1º) prêmio de R$ 23 milhões.

As seis dezenas do concurso 2.275 serão sorteadas a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

 

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

O volante, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

Comentários Facebook
Leia mais:  Programa de Seguro Rural 2019 tem execução 18% maior na comparação com ano anterior
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana