conecte-se conosco


Saúde

Atendimentos de hemodiálise são suspensos no Hospital Regional de Rondonópolis

Publicado

Os atendimentos de nefrologia foram suspensos no Hospital Regional de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, por falta de insumos. Outros serviços, como atendimentos ambulatoriais e eletivos, que são as consultas ou cirurgias com data e hora marcadas, já estão suspensos desde o dia 8 de outubro, quando os médicos paralisaram por falta de repasses nos salários.

O Instituto Gerir informou que assim que receber os R$ 5,4 milhões, referente ao mês de setembro, vai regularizar o pagamento de médicos e funcionários. Com relação aos pacientes de hemodiálise, o instituto afirmou que o hospital tem medicamento suficiente para atender os pacientes internados.

Para novos pacientes, os insumos já foram comprados e devem chegar na próxima semana. A Secretaria Estadual de Saúde que disse que ainda não foi comunicada sobre a situação do setor de nefrologia e assim que for irá mandar uma equipe para fiscalizar e acompanhar a situação.

Uma mulher que prefere não se identificar acompanha o marido que está internado na UTI. Ele precisa fazer exames diariamente, mas não está conseguindo. Segundo ela, a médica disse que não tinha insumo e que precisou pagar pelo exame.

Leia mais:  Obras do novo Pronto Socorro entusiasma ministro Carlos Marun, que reafirma compromisso dos R$ 100 milhões

Uma funcionária, que não quis se identificar, se diz indignada depois da emissão de um documento na sexta-feira (30) pelo setor de nefrologia, comunicando a suspensão de atendimentos por falta de insumos pra realização de hemodiálise.

O documento também diz que todo o serviço de nefrologia deve ser suspenso e os pacientes que estão internados devem ser transferidos para outras unidades.

Em Rondonópolis, apenas a Santa Casa teria condições de receber esses pacientes, se tiver vagas, ou então, as pessoas que precisam desse atendimento deverão ser encaminhadas para Cuiabá .

RONDONÓPOLIS

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Médicos do HR de Rondonópolis decidem paralisar atendimentos; Olhe vídeo

Publicado

por

Em reunião realizada nesta segunda-feira (12), médicos que trabalham no Hospital Regional de Rondonópolis decidiram pela paralisação dos serviços em decorrência da precariedade devido à falta de insumos, assim como atrasos de até quatro meses nos pagamentos dos profissionais. A unidade é referência em média e alta complexidade para 19 municípios compreendidos pela região Sul do Estado. A decisão afeta mais de 500 mil pessoas.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Médicos do Estado de Mato Grosso (Sindimed-MT), Pedro Maggi, a situação se tornou insustentável após sucessivos atrasos nos pagamentos da Instituição Gerir, que administra o Hospital por meio de dispensa de licitação, uma vez que se trata de um contrato emergencial. “Existe um limite. E esse limite foi ultrapassado. Não há mais condições para se trabalhar sem material, tampouco sem receber”, pontuou.

Segundo o médico, o Gerir teria informado aos médicos que não tem conseguido cumprir com a regularidade dos pagamentos devido aos constantes atrasos nos repasses de recursos provenientes da Secretaria de Estado de Saúde (SES). “Fato é que a precariedade consta desde o contrato com esta empresa, por meio de dispensa de licitação. E ainda o Governo atrasa os repasses. E quem paga o preço é a população, que não pode contar com um atendimento digno”.

Leia mais:  Saúde de MT deve receber investimentos de quase R$ 170 milhões da bancada federal

Em entrevista à imprensa local nesta segunda, o prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio (SD), afirmou que o Estado passou o dinheiro para o Instituto. Contudo, este estaria se negando a realizar os pagamentos. “Sendo assim, chamei eles para buscar um entendimento junto com o Ministério Público para poder comprar insumos com dispensa de licitação, em caráter de emergência”.

HR Rondonópolis – De acordo com o Instituto Gerir, o Hospital tem capacidade para atender cirurgias nas especialidades de buco maxilo, infantil, geral, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinologia, plástica, proctologia, torácica, urologia, vascular. A unidade hospitalar tem Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nas especialidades de angiologia, endocrinologia, infectologia, nefrologia e neurologia. São 128 leitos ativos, 545 cirurgias por mês. A média de atendidos mensal é de mil pacientes.

HR Rondonópolis – De acordo com o Instituto Gerir, o Hospital tem capacidade para atender cirurgias nas especialidades de buco maxilo, infantil, geral, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinologia, plástica, proctologia, torácica, urologia, vascular. A unidade hospitalar tem Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nas especialidades de angiologia, endocrinologia, infectologia, nefrologia e neurologia. São 128 leitos ativos, 545 cirurgias por mês. A média de atendidos mensal é de mil pacientes.

Leia mais:  Médicos do HR de Rondonópolis decidem paralisar atendimentos; Olhe vídeo

Por Hugo Fernandes
Da Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana