conecte-se conosco


Política

Assembleia Social faz visita técnica em comunidade terapêutica

Publicado

Foto: EKESIO ROSA DA CRUZ

Foto: EKESIO ROSA DA CRUZ

Foto: EKESIO ROSA DA CRUZ

“Eu acredito no poder da transformação”, declarou Elizeu Tavares, com olhos marejados, ao receber o irmão Enoque Tavares que estava por um ano em tratamento contra as drogas na Comunidade Terapêutica Paraíso, em Cuiabá, região do Manso, e retornou ontem (03) para a família.

O emocionante encontro aconteceu durante a visita técnica da Assembleia Social (antiga Sala da Mulher) à comunidade terapêutica, nessa quinta-feira (03), grupo que já recebe apoio regularmente do braço social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), por meio do repasse de alimentos não perecíveis arrecadados pelo ingresso social ao Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros.

A entidade filantrópica acolhe, atualmente, 34 homens em recuperação do vício do álcool ou de outras drogas, sem custo para a maioria deles. A ação social é desenvolvida há 11 anos pelo casal Neusa e Alonso Moura, por um convite da igreja evangélica onde frequentam, que acolheram como um ‘chamado divino’.

Leia mais:  Moro não reconhece autenticidade de mensagens de site

O custeio para manter o tratamento dos usuários em recuperação por seis, nove ou doze meses é todo arcado pelo casal, recebendo, apenas, algumas doações de parceiros, a exemplo da Assembleia Social. “Espero que vocês continuem sendo um canal de transformação de vidas e naturalizando na Terra tanta coisa bonita”, elogia a diretora da Assembleia Social, Daniella Paula Oliveira.

“Nós somos uma comunidade de acolhimento”, resume o gestor Alonso Moura, deixando claro que não é uma clínica. “Nós temos aqui bons meninos! Toda hortaliça que se come, a galinha, o ovo, o peixe são produzidos por eles mesmos”, explicando o método de atuação da unidade (baseada na laborterapia) e garantindo que eles estarão prontos para vivenciar o “mundo lá fora”, assim que encerrarem o tratamento. “Tem muita gente que quer que vocês voltem e tenham uma vida social normal”, se dirige aos acolhidos. “A nossa fortuna são as almas recuperadas”, arremata.

Na presença da equipe da Assembleia Social e do gabinete do deputado Max Russi (PSD), Alonso registrou o pedido de auxílio institucional à Assembleia Legislativa: “eu quero que vocês olhem para isso aqui e me ajudem”. Os representantes presentes se comprometeram a verificar a viabilidade de outras formas de atendimento à instituição filantrópica, além dos alimentos já repassados frequentemente.

Leia mais:  Projeto de lei cria Política Estadual de Investimentos de Impacto Social

Enoque Tavares se emocionou ao se despedir do grupo e se preparar para retornar ao seio familiar, registrando o amor que tem por todos e a saudade dos sobrinhos. “A nossa família está de braços abertos para te receber e o mundo lá fora te dará muitas oportunidades nesta nova vida”, garante Elizeu, seu irmão.

O chefe de gabinete do Max Russi, Ademir Gaspar de Lima, registrou que o deputado estadual “é muito sensível às pessoas” e garantiu que “nosso gabinete está junto de vocês nesta causa”. Citando casos de sua vivência política, assegurou: “A grande felicidade não é fazer a si feliz, mas fazer a felicidade dos outros”.

Comentários Facebook
publicidade

Política

Vereador em MT diz “ciência biológica da saúde” as máscaras ajudam a combater coronavírus; Olhe vídeo

Publicado

por

O vereador por cinco mandatos Chico Curvo que também se diz pré candidato a prefeito, disse na tribuna da câmara que a máscara combate o coronavírus.

O vereador disse que teria conversado com Dr. Miguel que é médico e vereador em Várzea Grande “Chico diz que segundo a ciência biológica da saúde as máscaras combatem coronavírus na sessão de hoje (30). Será que o vereador não quis dizer ao contrário, que a máscara ajuda a reduzir a propagação do vírus.

 

Uma série de pesquisas científicas demonstrou que o uso de máscaras faciais durante surtos de doenças virais como a causada pelo coronavírus 2019 (COVID-19) só demonstrou ser eficaz para proteger os profissionais de saúde e reduzir o risco de pacientes doentes espalharem a doença.

Os estudos não demonstraram um benefício claro do uso de máscaras para pessoas saudáveis. Algumas pesquisas mostram que as pessoas podem ser infectadas tocando em uma máscara contaminada que estavam usando ou removendo-a incorretamente.
Em um surto como o COVID-19, as seguintes medidas podem ajudar as pessoas a reduzir suas chances de serem infectadas:

Leia mais:  Senado aprova revogação de decreto que flexibiliza acesso a armas

• Lave as mãos com frequência ou use um desinfetante para as mãos à base de álcool. Sempre lave com água e sabão quando as mãos estiverem visivelmente sujas.

• Evite tocar o nariz ou a boca, que são vias comuns de infecção.

• Evite multidões e limite suas visitas a espaços fechados com pessoas.

• Evite o aperto de mão e outras formas de contato físico.

• Mantenha uma distância de pelo menos um metro (3 pés) de qualquer pessoa que tenha sintomas respiratórios (por exemplo, tosse ou espirro).

Se a pessoa tiver sintomas como tosse, espirros ou dificuldade para respirar, as recomendações são:

• Usar uma máscara facial, se a pessoa estiver infectada, para evitar a propagação da doença.

• Se não usar máscara, mas estiver tossindo e espirrando, é fundamental cobrir o nariz e a boca com o cotovelo dobrado ou com um lenço de papel – em seguida, jogar fora o lenço e higienizar as mãos.

“Este é um novo vírus”, disse Barbosa, referindo-se ao COVID-19, “então ainda estamos coletando informações sobre ele. Mas as evidências já disponíveis mostram que é semelhante o suficiente a outros vírus e estamos bastante confiantes de que essas recomendações são boas dicas para reduzir as chances de infecção”.

Leia mais:  Educação de Cuiabá iniciam ano letivo com semana pedagógica

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana