conecte-se conosco


Mato Grosso

Aprosoja continua na liderança da Aliança Internacional dos Produtores de Soja

Publicado

Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) foi reconduzida por mais um ano para secretaria da International Soybean Growers Alliance (ISGA), em português, Aliança Internacional dos Produtores de Soja. A permanência na condução do grupo foi acordada durante reunião realizada nesta terça-feira (02.02), por meio videoconferência.

“É uma excelente oportunidade enquanto presidente da Aprosoja, dar continuidade e estar à frente dos trabalhos do ISGA, com os temas coletivos e promover debates e ações internacionais que interessem aos produtores de soja”, pontuou Fernando Cadore, presidente da Aprosoja Mato Grosso.

O ISGA congrega 95% da produção mundial de soja com representantes dos produtores da Argentina, Brasil, Canadá, Estados Unidos, Paraguai, Uruguai e Bolívia. Além da decisão de permanência brasileira como condutor dos trabalhos, a reunião discutiu a preocupação com a produção sustentável e meio ambiente.  Temas como segurança alimentar, demanda mundial, boas práticas agronômicas, questões fitossanitárias e produtividade também compuseram a pauta.

Principal ponto de discussão da primeira reunião de 2021 foi o Acordo Verde Europeu (European Green Deal), conjunto de propostas e estratégias apresentado pela União Europeia para conter o efeito estufa, que. Por meio dessa iniciativa, a Europa pretende ser o primeiro continente carbono neutro.

Leia mais:  CGE reestrutura setor de inteligência para reforçar o controle preventivo

“A principal preocupação quanto ao Green Deal, mais especificamente em relação à estratégia ‘Farm to Fork’, é a implementação, já que muito do que se pretende se mostra inviável, principalmente para o próprio produtor europeu, e também, para o comércio internacional. Adiante vamos nos organizar e fazer um plano de ação pra trabalhar diante desse acordo que ainda não é obrigatório”, pontuou Wellington Andrade, diretor executivo da Aprosoja, que conduziu o encontro online.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Igrejas e templos religiosos de Mato Grosso estão com o horário de funcionamento limitado

Publicado

Igrejas e templos religiosos de Mato Grosso estão com o horário de funcionamento limitado, por conta do novo decreto governamental com medidas de contenção à Covid-19. As celebrações e outras atividades nesses locais só podem ocorrer entre às 5h da manhã e às 19h, de segunda a sexta-feira. Nos finais de semana, o horário permitido é entre 5h e 12h.

Além disso, os líderes de cada segmento religioso devem ficar atentos às regras que limitam a quantidade de pessoas que podem participar de cada reunião. Conforme o decreto assinado pelo governador Mauro Mendes (DEM),  são permitidas, no máximo, 50 pessoas por encontro, respeitando sempre a ocupação de apenas 30% da capacidade do local.

Os cristãos católicos, neste momento, vivem o importante período religioso que antecede a Páscoa, conhecido como quaresma, que rememora os dias em Jesus ficou no deserto, jejuando e orando e foi tentado pelo diabo antes de iniciar sua vida como líder religioso.

De acordo com o censo de 2010, os católicos representam a maior população religiosa em Mato Grosso, com quase 2 milhões de fiéis. Em seguida vem os evangélicos, com quase 800 mil.

Leia mais:  Secretarias reduzem casos de afastamentos de servidores por problemas de saúde

Apesar de o decreto ter ganhado respaldo jurídico do Tribunal de Justiça (TJ), devendo ser seguido em todos os municípios do estado, diversas lideranças têm pedido a flexibilização das normas para garantir a normalidade no funcionamento das atividades religiosas.

Na Câmara Municipal de Cuiabá, tramita um projeto de lei apresentado pelo vereador Eduardo Magalhães (Republicanos), que prevê a inclusão das igrejas e templos de qualquer denominação religiosa entre as atividades essenciais.

“As igrejas e templos realizam trabalhos de voluntariado na comunidade dando amparo a pessoas normalmente de baixa renda, incluindo aí população carcerária e indivíduos em situação de vulnerabilidade. Além da evangelização, as denominações religiosas mobilizam-se para auxílio de pessoas atingidas pela crise econômica ora em curso em função da pandemia da Covid 19”, argumenta o parlamentar.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana