conecte-se conosco


Educação

Aplicativo medirá o uso de tecnologia pelas escolas

Publicado

O Ministério da Educação acaba de lançar um aplicativo para ajudar diretores, professores e alunos a medir o uso da tecnologia em cada uma das 146 mil escolas do país. Trata-se do Educação Conectada, gratuito e disponível a todos no Google Play e Apple Store. O aplicativo identifica, por meio de perguntas simples, o grau de adoção de tecnologia na sala de aula e o quanto ela está contribuindo para a melhoria do processo de ensino.

O aplicativo foi desenvolvido pelo MEC, no âmbito do Programa de Inovação Educação Conectada, criado pelo Governo Federal para apoiar a universalização do acesso à internet em alta velocidade nas escolas e fomentar o uso pedagógico de tecnologias digitais na educação básica. O programa tem quatro dimensões: visão, formação, recursos educacionais digitais e infraestrutura. Contratar serviços de internet e adquirir equipamentos já estão entre as possibilidades fornecidas por meio do programa. Agora, com o aplicativo, cada escola vai poder fazer um melhor diagnóstico e levantar as necessidades em relação a implantação ou melhoria do uso da tecnologia em sala de aula.

“Neste primeiro momento, o MEC não vai computar os dados, ou seja, os resultados vão servir de base para que os diretores identifiquem as necessidades e também como subsídio para o planejamento de ações, como o preenchimento do Simec em 2019, que é o plano de metas de cada escola para os próximos quatro anos”, explica Marlucia Amaral, coordenadora geral de Tecnologia e Inovação do MEC.

Leia mais:  Seduc lança ficha de acompanhamento de frequência escolar.

A navegação do aplicativo é simples, feita até mesmo para quem não está familiarizado com a tecnologia. Tudo de forma orgânica e intuitiva. E as questões respondidas vão indicar se a escola está em um nível emergente, que é a fase inicial de implantação de tecnologia; básico, quando já há o uso por professores e alunos, embora de uma forma limitada; intermediário, quando a tecnologia é utilizada mais frequentemente em sala de aula, como facilitador do ensino e da gestão; e, por fim, avançado, aquela escola que se apoia diariamente na tecnologia para contribuir significativamente para a melhoria dos processos de ensino, aprendizagem e de gestão.

No fim, o aplicativo gera um gráfico explicando o que a escola precisa fazer para conquistar um quadro mais favorável em relação à aplicação da tecnologia.

No próximo ano, o MEC vai levantar os dados das escolas para saber como cada uma está em relação à formação (preparação do professor), à conexão, ao uso de recursos educacionais por meio da tecnologia e à infraestrutura.

Leia mais:  Procon Municipal realiza fiscalização nas escolas particulares de Cuiabá

Diagnóstico – O objetivo do aplicativo também é oferecer aos gestores a opção de simular diversos quadros e ajudá-los a entender as necessidades da escola. “Depois de responder as perguntas, o diretor vai descobrir a situação de sua escola em relação ao uso da tecnologia e vai poder trabalhar com esses dados. Ele pode voltar, por exemplo, e ver em que situação a instituição estaria se estivesse fazendo isso ou aquilo, dentro das opções oferecidas pelo aplicativo”, ressalta Marlucia. “Ele vai começar a entender que para a escola chegar ao nível avançado é necessário seguir esses e aqueles critérios. E essas orientações que aparecem no final do diagnóstico podem ser complementadas na página do Programa de Inovação Educação Conectada, onde estão todas as informações sobre o programa.”

Conectividade – Segundo as metas do Programa de Inovação Educação Conectada, todas as 146 mil escolas do Brasil devem ter acesso à internet de alta velocidade até o ano de 2024. Atualmente, cerca de 18 mil já contam com o recurso. A perspectiva é que de nos próximos meses o alcance seja de 22 mil escolas, o que significa 12,8 milhões de alunos ou 40% das matrículas dos ensinos fundamental e médio.

Comentários Facebook
publicidade

Educação

Univag inova e lança oferta de aulas ao vivo

Publicado

O Univag – Centro Universitário de Várzea Grande, sempre buscando inovar no ensino superior, lança uma nova forma de ofertar aulas, a graduação ao vivo. São mais de 15 cursos com aulas ao vivo com total interação, sem perder a essência da sala de aula, com a alta qualidade do Univag.

A graduação ao vivo será transmitida com o que há de melhor da tecnologia remota e do modelo presencial: as aulas acontecem com dias e horários marcados com interação ao vivo entre aluno e professor pela plataforma ZOOM com o apoio do AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem).

Essa oferta permite que o aluno assista as aulas ao vivo sem precisar se locomover, no conforto da sua casa, indo até o Univag apenas para a realização das aulas práticas e provas regimentais, com dois a quatro encontros presenciais planejado por semestre.

“Toda estrutura é pensada para promover a maior conveniência para quem quer estudar e ter a melhor formação profissional. Os cursos ao vivo do Univag apresentam qualidade superior, pois o acompanhamento dos alunos ocorre durante todas as atividades. A proposta pedagógica ao vivo oportuniza mais tempo para se dedicar aos estudos, em qualquer local, comparecendo a instituição apenas em datas programadas”, ressaltou o diretor de Área de Conhecimento do Univag, professor doutor Alessandro A. Lopes Santana da Silva.

Leia mais:  Alunos da Escola Irene Gomes do bairro Figueirinha em Várzea Grande participam do TCEstudantil

Além dessa novidade, o Univag já oferta Graduações Tecnológicas Semipresenciais na área da gestão com a mesma qualidade dos cursos presenciais. Nos cursos Semipresenciais do Univag o aluno comparecerá ao polo nas datas programadas para realizar atividades otimizadas: exercícios, apresentação de trabalhos, desenvolvimento de projetos e avaliações.

Inscrições abertas

Gratuita, a inscrição para a modalidade à distância, oferta Semipresencial e graduação ao vivo pode ser feita até o dia 19 de fevereiro, pela Internet, no endereço eletrônico: www.vestibularunivag.com.br e também em qualquer um dos polos, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados das 8h às 12h.

Para o processo seletivo, o (a) candidato (a) pode ingressar no Univag através da nota de Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), pela realização presencial e agendada de prova de Redação, com data e horários estabelecidos no ato da inscrição ou por prova de Redação on-line.

Quer qualidade aliada a praticidade? Faça um curso de graduação ao vivo ou Semipresencial no Univag. Consulte os cursos ofertados e nosso Programa de Bolsas e Parcelamentos.

Leia mais:  Novo decreto mantém suspensão de aulas presenciais em Mato Grosso

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana