conecte-se conosco


Política

ALMT define os membros das comissões permanentes

Publicado

A base do governador Mauro Mendes (DEM) não conseguiu garantir a formação de um único bloco na Assembleia Legislativa, como ele havia pedido ao seu líder, o deputado Dilmar Dal Bosco (DEM). Com isso, três blocos se formaram para este ano.

Porém, o bloco governista possui 13 dos 24 parlamentares do Legislativo. Denominado “Assembleia Forte”, o bloco manteve Dal Bosco como líder do bloco e é composto pelos deputados Carlos Avalone (PSDB), Drº João (MDB), Xuxu Dal Molin (PSC), Eduardo Botelho (DEM), Drº Gimenez (PV), Nininho (PSD), Sebastião Rezende (PSC) Paulo Araújo (PP), Thiago Silva (MDB), Ulysses Moraes (PSL) e Wilson Santos (PSDB).

Já o bloco “Resistência Democrática”, formado no ano passado, permaneceu, só que desta vez terá Allan Kardec (PDT) como líder. O bloco ainda conta com a deputada Janaina Riva (MDB), Delegado Claudinei (PSL), João Batista (Pros), Lúdio Cabral (PT) e Valdir Barranco (PT).

O 3º bloco com o nome de “Parlamentar Unidos”, terá Drº Eugênio (PSB) como líder. Ainda compõe o bloco Faissal Kalil (PV), Max Russi (PSB), Valmir Moretto (PRB) e Elizeu Nascimento (PSL).

Leia mais:  Prefeito demonstra preocupação com o descuido dos cuiabanos em relação ao avanço do coronavírus

Comissões

Com os blocos formados, a Assembleia publicou nesta quinta-feira (18) a composição de todas as comissões permanentes do Poder Legislativo para atuarem neste ano  de 2021. Na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), estão a deputada Janaina Riva, Wilson Santos, Dilmar Dal Bosco, Drº Eugênio (PSB) e Sebastião Rezende.

Na Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária estão Valmir Moretto, Nininho, Carlos Avalone, Xuxu Dal Molin e Thiago Silva. Já a Comissão de Educação é composta por Faissal, Wilson Santos, Thiago Silva, Drº João e Valdir Barranco. Na Comissão de Saúde atuarão os deputados Drº Eugênio, Paulo Araújo, Drº João, Drº Gimenez e Lúdio Cabral.

 

Veja as demais Comissões:

Comissão de Agropecuária e Regularização Fundiária

Elizeu Nascimento, Nininho, Dr. João, Xuxu Dal Molin e João Batista.

 

Comissão de Revisão Territorial

Valmir Moretto, Nininho, Ulisses de Moraes, Thiago Silva e Valdir Barranco.

 

Comissão de Indústria, Comércio e Turismo

Valmir Moretto, Xuxu Dal Molin, Dr. Gimenez, Carlos Avalone e Allan Kardec.

 

Leia mais:  Deputados debatem rito de indicação de vaga no TCE

Comissão de Direitos Humanos

Faissal, Wilson Santos, Thiago Silva, Sebastião Rezende e João Batista.

 

Comissão de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Recursos Minerais

Faissal, Dilmar Dal Bosco, Xuxu Dal Molin, Carlos Avalone e Allan Kardec.

 

Comissão de Defesa do Consumidor

Elizeu Nascimento, Thiago Silva, Ulysses de Moraes, Sebastião Rezende e Janaína Riva.

 

Comissão de Segurança Pública

Elizeu Nascimento, Dr. João, Ulisses de Moraes, João Batista e Delegado Claudinei

 

Comissão de Trabalho e Administração Pública

Elizeu Nascimento, Xuxu Dal Molin, Wilson Santos, Dr. Gimenez e João Batista.

 

Comissão de Infraestrutura e Transporte

Valmir Moretto, Nininho, Xuxu Dal Molin, Sebastião Rezende e Delegado Claudinei.

Comentários Facebook
publicidade

Política

Secretário vê risco em reabrir escolas e afirma que neta estudante foi infectada

Publicado

Andhressa Barboza/ rdnews

O retorno das aulas presenciais em Mato Grosso não deve ocorrer em breve. Com risco alto de contaminação pela Covid-19, as escolas são locais críticos para espalhar o vírus e preocupa autoridades como o secretário chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho. Ele relata ter visto toda sua família ser infectada após sua neta de apenas 4 anos, que estava frequentando a escola, ficar doente e acabar contaminado parentes próximos.

Na minha família, até dias atrás, estavam todos contaminados e quem trouxe o vírus para casa foi minha neta de 4 anos que estuda em uma escola privada

Chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho

Ele contou o caso, que é recente, após ser questionado sobre um Projeto de Lei que tramita na Assembleia que prevê a inclusão das instituições de ensino públicas e privadas na lista de serviços essenciais.

“Eu tenho muita dúvida com relação a isso. Na minha família, até dias atrás, estavam todos contaminados e quem trouxe o vírus para casa foi minha neta de 4 anos que estuda em uma escola privada. Então, tenho muita dúvida com relação ao retorno das aulas”, alertou.

Leia mais:  Dr. João diz que 'chegou a hora de melhorar a saúde de Mato Grosso'

Na última semana, o governador Mauro Mendes (DEM) sinalizou que não deve sancionar o projeto que já passou em primeira votação pela AL. Ele também alertou, sem citar o caso de Carvalho, que crianças podem ser infectadas e contaminar parentes.

“Você pega uma escola estadual como a presidente Médici, tem 2 ou 3 mil alunos uma escola dessa. Como vamos fazer? Temos que avaliar cientificamente e eu não gostaria de dar a minha opinião, até pelo que aconteceu com a minha família, mas é uma situação que vamos avaliar com muito carinho”, ponderou Mauro Carvalho.

Em relação ao PL, o secretário preferiu não ser direto em defender uma postura contrária. Mas quis deixar evidente o risco de abrir escolas em um momento crítico para a saúde pública que está em colapso há mais de um mês. Já são mais de 8,4 mil mortos pela doença no Estado e, diariamente, a fila de espera de pessoas graves que aguardam vaga em UTI passa de 100 pessoas.

Leia mais:  Bolsonaro diz que governo fez sua parte na reforma da Previdência

“Eu não conversei com o governador sobre essa situação (do PL), mas isso merece um estudo bem aprofundado para que a gente não cometa nenhum ato que vá prejudicar as pessoas. Os critérios precisam ser pensados com muito equilíbrio”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana