conecte-se conosco


Política

Agente de Saúde pede que socorram a categoria na Tribuna Livre

Publicado

Rodrigo Diego Passos externou aos parlamentares o sufoco de trabalho diário do agente comunitário de Saúde. “Somos mal-remunerados, desvalorizados e não respeitados em nossas imposições para acessar os benefícios legais e fundamentais ao bom exercício da função”
Na Tribuna Livre do Legislativo da capital hoje (16), o agente comunitário de Saúde do município cuiabano, Rodrigo Diego Passos Ferreira, que veio à Câmara a convite do vereador Dr. Xavier, discorreu sobre as dificuldades enfrentadas no dia a dia pelos seus colegas de profissão. Mas, mesmo assim, enfatizou, todos amam seu trabalho, carga horária média de 40 horas/semanais – “ou mais” – corrige. Nunca temos folga: sempre tem gente batendo na nossa porta”, pontuou. Rodrigo elencou que o salário bruto do agente é R$ 1.600 reais, incluso o vale-transporte. “Se não faltarmos nenhuma vez/mês, ganhamos o Prêmio Saúde, de R$ 70 reais/mês. Só não repassam esse prêmio nas férias e no cumprimento de atestados médicos. O salário básico fica mesmo em torno de R$ 1.200 reais”.
Em seu nome e no da categoria, o agente solicitou S.O.S. do Parlamento para que possam cumprir suas atribuições dotados de melhores condições/recursos. “Existe o incentivo (recurso) adicional de final de ano, que vem diretamente para ser incluso nos proventos dos agentes comunitários de Saúde. O incentivo tem sido repassado normalmente ao município, mas não aos agentes, sob duas alegações: a) tem sido empregado na compra de materiais de trabalho dos agentes b) para sua destinação salarial, é preciso que a Câmara Municipal aprove lei nesse sentido, tornando legal tal repasse. É, aliás, o motivo pelo qual muitos municípios não repassam esse incentivo anual, extra financeiro que poderia nos ajudar bastante”.
Rodrigo citou ainda que atua na área da Saúde há 10 anos, função exercida com muita dedicação amorosa, em virtude da série de empecilhos desanimadores. “Meu irmão era agente de saúde e desistiu, não aguentou o tranco de imposições desanimadoras. Até canetas e protetor solar somos obrigados a adquirir somos, de certa forma, provedores do serviço público. Eu continuo militando no setor simplesmente porque tenho idealismo de contribuir para a melhoria da Saúde do meu semelhante. Não fosse isso, teria desistido também, a exemplo de muitos que partiram para outras áreas, francamente decepcionados. Ser agente de Saúde não é tarefa para qualquer um, convenhamos: é preciso ter pulso firme, determinação constante. Por vezes, somos até psicólogos dos pacientes. Ainda bem que Dr. Xavier n os abriu as portas do Legislativo para pedirmos socorro. Uma luz de esperança foi acesa para nós”.
No seu pronunciamento, Dr. Xavier afirmou que “os agentes de Saúde são heróis em trabalho ininterrupto, e, portanto, merecem toda a gratidão, atenção e receptividade por parte de legisladores e gestores públicos, a fim de que possam desenvolver seu trabalho de forma satisfatória, paralelamente sendo remunerados à altura do esforço que o grupo emprega cotidianamente”. Segundo o parlamentar, toda a sociedade cuiabana, brasileira e do mundo sabe o quanto é importante o papel que os agentes de Saúde representam na área assistencial, estendendo ponte indispensável aos bons resultados da Saúde Pública.
“Se eles (agentes) fossem mais valorizados, como merecem, aliás, a Saúde Pública teria uma guinada fantástica. Dispomos de uma Saúde que se preocupa apenas em resolver a doença, quando o correto seria também se preocupar com aqueles que trabalham para prevenir a série de endemias que assolam a população. É uma realidade vigente não apenas em Cuiabá, mas extensiva nos demais municípios e Brasil afora. Os agentes comunitários de Saúde podem contar com este Parlamento para apoiar e lutar por suas reivindicações”.
João Carlos de Queiroz/Secretaria de Comunicação – CMC

Leia mais:  Bolsonaro se reúne com governadores da Amazônia Legal

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Comentários Facebook
publicidade

Política

Deputado assina TAC e promete não realizar mais festas

Publicado

O deputado estadual Faissal Calil (PV) assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Estadual (MPE) no qual se compromete a não realizar festas em sua residência, localizada no bairro Shangri-lá em Cuiabá, que excedam o volume de som permitido na “Lei do Silêncio”. O desrespeito à norma renderá multa no valor de R$ 3 mil.

“Se abster, a partir desta data, de produzir nos eventos realizados em sua residência ou sob sua responsabilidade, ruídos em níveis tais que possam resultar em danos à saúde humana”, diz o promotor 17ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística e do Patrimônio Cultural de Cuiabá, Gerson Natalício Barbosa.

 

De acordo com o TAC, chegou ao conhecimento da promotoria de Justiça que o deputado realizou uma festa para comemorar a vitória do vereador Marcus Brito Jr. (PV), que é seu aliado político. O termo de compromisso foi assinado no dia 15 de dezembro.

Ainda consta no documento que as celebrações são realizadas com frequência no local. “De acordo com a notícia, as festas organizadas pelo senhor Faissal Jorge Calil Filho são recorrentes e causam grande perturbação à vizinhança”.

Leia mais:  Deputado Elizeu Nascimento participa de troca de comando do Batalhão de Trânsito Urbano e rodoviário

 

Veja vídeo da festa 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana