conecte-se conosco


Brasil / Mundo

Agência de mineração interdita quatro barragens por falta de estabilidade

Publicado

Brasil soma 43 estruturas interditadas por esse motivo — 36 estão em Minas Gerais, uma no Pará, uma no Amapá e uma no Rio Grande do Sul

Mais quatro barragens foram interditadas pela Agência Nacional de Mineração por falta de estabilidade nas estruturas. Labourrie, no Amapá, Lagoa do Pirocaua, no Maranhão, Bacia 07 Alto da Serra, em Mato Grosso do Sul e Barragem do Serginho, no Mato Grosso. Com os novos fechamentos, o Brasil soma, agora, 43 barragens interditadas por esse motivo. Dessas, 36 estão em Minas Gerais, uma no Pará, uma no Amapá e uma no Rio Grande do Sul.

O presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental, Carlos Bocuhy, afirma que o grande número de barragens interditadas é resultado de erros antigos. “O que nós estamos passando no Brasil, na verdade, é um processo de adequação a uma série de desconformidade no licenciamento dessa barragens e que levavam a um risco muito grande, como pode ser comprovado em Mariana e Brumadinho. Primeiro porque o licenciamento ambiental de muitas barragens foram feitos não de forma criteriosa, como deveria. Segundo porque durante a vida dessas barragens, foram promovidas alterações, ampliações, que permitiram um maior instabilidade. Tanto que foi proibido, recentemente, a construção de barragens com os próprios rejeitos de mineração.”

Leia mais:  Mais de 13 milhões ainda não enviaram declaração do Imposto de Renda

As novas interdições foram anunciadas depois da entrega da Declaração de Condição de Estabilidade no do mês passado. A DCE é elaborada pela própria empresa dona da barragem — a entrega é obrigatória para o funcionamento de todas as estruturas que fazem parte da Política Nacional de Segurança de Barragens e precisa ser feita em março e em setembro de cada ano. Apesar dos avanços, Carlos Bocuhy ressalta que um monitoramento e vistoria de órgãos ambientais seria mais seguro.

“Não pode ser auto declaratório, você tem que ser objeto de fiscalização e controle social. É difícil fazer um empreendimento diante do risco. É preciso que as comunidades deem acesso a esses dados e o governo continue monitorando esses empreendimentos que oferecem risco às populações instaladas nas proximidades.” Atualmente, das 438 barragens inseridas na Política Nacional de Segurança de Barragens, 395 têm DCE atestando a estabilidade, 32 entregaram a declaração não atestando a estabilidade das estruturas e 11 não enviaram o documento no período legal. Essas últimas são automaticamente interditadas.

Comentários Facebook
publicidade

Brasil / Mundo

Lula ultrapassa Bolsonaro na corrida para 2022

Publicado

A nova rodada da pesquisa XP-Ipespe sobre a disputa presidencial para 2022 mostra que, a cerca de um ano e meio da eleição presidencial de 2022, o ex-presidente Lula e o presidente Jair Bolsonaro permanecem tecnicamente empatados na liderança, mas agora com o petista numericamente à frente. Ele tem 29% das intenções de voto ante 28% de Bolsonaro. Sergio Moro e Ciro Gomes vêm na sequência, com 9% cada. No levantamento anterior, Lula tinha 25%, e Bolsonaro, 27%. Nas simulações de segundo turno, Lula também está numericamente à frente de Bolsonaro, com 42% a 38% — na pesquisa do início de março, Bolsonaro tinha 41% e Lula, 40%. Em outros cenários testados, o presidente Bolsonaro aparece empatado com Moro, ambos com 30%, e com Ciro Gomes, ambos com 38%. Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional nos dias 29, 30 e 31 de março. A margem de erro máxima é de 3,2 pontos percentuais para o total da amostra.

Comentários Facebook
Leia mais:  Cresce 60% o número de cidades com mais eleitores que habitantes
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana