conecte-se conosco


Polícia

Ações de fiscalização apuram exercício ilegal de educadores físicos e fraudes em postos de combustíveis

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Dando continuidade nas fiscalizações de proteção ao consumidor em Cuiabá, as Instituições com funções específicas realizam diligências, com objetivo de proporcionar ao cidadão, produtos de qualidade e serviços em conformidade com a legislação. Em duas ações distintas, um dos trabalhos visava apurar o exercício ilegal de educadores físicos e outro foi desencadeado para identificar fraudes em postos de combustíveis.

O trabalho é realizado pela Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), em conjunto com o Conselho de Educação Física, Procon Municipal e Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (Ipem). 

Duas ações foram deflagradas pelas equipes, com objetivo de averiguar denúncias anônimas. A primeira ocorreu na noite de quarta-feira (24.10), no Parque das Águas. A segunda fiscalização aconteceu na manhã de quinta-feira (25.10), em um Posto de Combustível. Em ambas ações operacionais, nenhuma pessoa foi conduzida.

No Parque das Águas, localizado no Centro Politico Administrativo, foram feitas checagem para identificar profissionais de educação física não habilitados atuando no local. Na ocasião, todos os abordados estavam de acordo com a lei.

Leia mais:  Comércio de fios e cabos de energia é alvo de fiscalização em Cuiabá e Várzea Grande

No Posto de Combustível alvo da fiscalização, os servidores do Ipem verificaram que os bicos de combustíveis fiscalizados não apresentavam irregularidades.

O delegado da Decon, Antonio Carlos de Araújo, falou da importância do trabalho de fiscalização, realizado para identificar possíveis irregulares. “Essas diligências integradas colaboram para inibir a cometimento de possíveis condutas criminosas”, destacou Araújo.

Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Delegados de Mato Grosso ganham o maior salário do Brasil

Publicado

Um levantamento realizado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) mostrou que os delegados de Mato Grosso são os que ganham o maior salário da categoria no país. O salário mensal de um delegado da Polícia Civil no estado é de R$ 24,5 mil.

Enquanto o salário dos delegados de Mato Grosso é o maior do país, o vencimento de escrivães e investigadores – as outras carreiras da Polícia Civil-, está bem longe do primeiro lugar.

Para os escrivães, profissionais responsáveis pelo registro de ocorrências e pela documentação das investigações, o salário é de R$ 5,5 mil, o 11º no ranking brasileiro.

Já para os investigadores, policiais que coletam provas sobre os crimes, localizam e interrogam suspeitos e mantém a segurança dos locais de investigação, o vencimento inicial é de R$ 5,5 mil, o 9º maior na comparação com o mesmo cargo em outros estados.

Dados da Polícia Civil mostram que no quarto trimestre de 2020 havia 400 cargos para delegados, porém, 158 estavam vagos. Já para escrivão de polícia, são 1,2 mil vagas, mas só 2.056 ocupados. E para investigador são 4 mil vagas, com 1.944 cargos vagos.

Leia mais:  Em pouco mais de 24h, PRF apreende 857kg de maconha em Rondonópolis

Por ser uma carreira típica de Estado, ou seja, que não podem ser substituída por profissional contratado, os cargos da Polícia Civil só podem ser ocupados através de concurso público. No entanto, para conseguir benefícios com o governo federal durante a crise, o Estado se comprometeu a não criar novos gastos até 2022, o que incluem os concursos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana