conecte-se conosco


Polícia

Ação voluntária realiza reforma em Delegacia de Terra Nova do Norte

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Delegacia de Polícia de Terra Nova do Norte (675 km ao Norte) teve a estrutura parcialmente reformada, por meio de ação voluntária envolvendo policiais civis, conselheiros do Conselho Municipal de Segurança Pública (Conseg) municipal e  cidadãos terranovenses.

As obras para garantir melhorias na unidade aconteceram entre os meses de novembro de 2018 a abril de 2019, e somente foram possíveis diante da mobilização integrada dos servidores e da sociedade.

A reforma teve início quando, devido à fragilidade na segurança do prédio, os investigadores decidiram colocar grades nas janelas e portas da delegacia. Para a instalação, foi contratado um profissional serralheiro da cidade que realizou o serviço cobrando somente o valor do material.

Diante do bom o andamento das obras, a equipe do Conseg municipal buscou auxílio no comércio local, sensibilizando empresários e cidadãos para realização de doações para continuidade da reforma em outros pontos da unidade policial.

No decorrer de seis meses de reformas, foram realizadas a instalação de grades em portas e janelas; reforma dos muros que estavam desabando; construção de cerca com portão eletrônico na frente do prédio; brita no pátio; aquisição de um sofá para a recepção; troca de portas e fechaduras; sala cofre para materiais apreendidos; troca de tomadas e interruptores; revisão em pontos de instalação elétrica e internet; reparação de torneiras; e pintura interna e externa da delegacia.

Leia mais:  PRF atende 137 motoristas em Comando de Saúde

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Equipe Especial interroga esposa de cabo em investigações das interceptações ilegais

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Civil, por meio da Equipe Especial, designada exclusivamente para conclusão dos inquéritos sobre as interceptações ilegais, ouviu em interrogatório, na tarde desta quarta-feira (18), a esposa do Cabo Gerson Correa, para esclarecimentos sobre questões apuradas nas investigações.

A delegada Ana Cristina Feldner informou que a mulher (E.M.O) aparece em algumas situações, como assinatura de fiadora no contrato de locação da sala usada para fazer as escutas ilegais, além da conta de internet usada no escritório clandestino estar em seu nome. Também por ter levado um aparelho celular ao cabo quando ele estava preso na Rotam. E ainda sobre a origem de um valor de R$ 35 mil, emprestado pelo cabo a um amigo.

Conforme a delegada, todas as informações serão analisadas, inclusive se  a mulher  tinha conhecimento e envolvimento com a organização criminosa investigada. Ela  alegou que acredita na inocência de seu marido.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Leia mais:  Operação integrada prende nove pessoas por tráfico de drogas
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana