conecte-se conosco


Entretenimento

Acabou de novo! A linha do tempo das idas e vindas de Bruna Marquezine e Neymar

Publicado

Na última quinta-feira (18), Bruna Marquezine anunciou o término de seu relacionamento com o jogador Neymar
. Desde que o namoro
 começou, várias rupturas e voltas aconteceram. Por isso, o iG Gente
construiu a linha do tempo que envolve o relacionamento entre os pombinhos.


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

Leia também:  Acabou? Bruna Marquezine aparece sem aliança entre amigos

A notícia de que a atriz Bruna Marquezine
e o futebolista colocaram um fim no relacionamento quebrou a internet. Entretanto, dizer que o público ficou chocado seria ingenuidade, tendo em mente que está longe de ser a primeira vez que isso acontece. 

O Início de Bruna Marquezine e Neymar


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

Em outubro de 2012, quando Bruna tinha seus 17 anos e o jogador do Santos com seus 21, os primeiros rumores de que os dois estavam juntos começaram a circular pela mídia. Entretanto, nada foi confirmado na época.

Foi apenas em 2013, em época de Carnaval, que os pombinhos confirmaram à imprensa que estavam juntos – e que era namoro firme. Os fãs dos dois enlouqueciam ao se deparar com fotos dos dois juntinhos por aí.

Leia também: Por que o término de Neymar e Bruna Marquezine pode ter sido definitivo?

Namoro à distância e primeiro término


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

Neymar, que até a primeira metade de 2013 jogava pelo Santos, acabou sendo contratado para jogar em Barcelona. Enquanto isso, Bruna ficou no Rio mesmo. O casal enfrentou a distância muito bem, a princípio. Durante a participação de Marquezine no quadro “Dança dos Famosos”, a atriz chegou até a receber uma declaração do namorado.

Leia mais:  Nasceu! Sabrina Sato dá à luz a sua primeira filha

Entretanto, o relacionamento à distância começou a ser um obstáculo na vida dos dois, o que culminou no primeiro término, que ocorreu em fevereiro de 2014.

A primeira volta de Brumar


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

Em março de 2014, pouco antes da Copa do Mundo, o casal reatou. Bruna revelou no “Domingão do Faustão” que o jogador tinha sido seu primeiro amor. Pouco depois, a notícia da volta do casal foi dada pela primeira vez pelo próprio craque do futebol, no mesmo programa. 

Mais um rompimento


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

O casal pareceu ainda não ter superado a distância, e em agosto de 2014, logo após a derrota do Brasil na Copa do Mundo, mais uma vez Brumar se dava como terminado. Depois que ambos tiraram umas férias em Ibiza, a atriz voltou para o Brasil e confirmou a separação, que durou o ano de 2015 inteiro – com direito a Marquezine se relacionando com o modelo Marlon Teixeira.

Leia mais:  Fernanda Montegro defende Lei Rouanet no Melhores do Ano: “Não somos corruptos”

A reaproximação do casal


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

O relacionamento entre Bruna e Marlon durou até maio de 2015. No mesmo mês do outro ano, Marquezine e o jogador começaram a se reaproximar, até que foram clicados juntos na época dos Jogos Olímpicos. Em dezembro de 2016, o casal assumiu o retorno do relacionamento.

O terceiro término


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

Em julho de 2017, o jogador deixou a Barcelona para se aventurar no Paris Saint-Germain, da França. Mais uma vez, a distância representou uma barreira na existência de Brumar, que acabou se rompendo.

A volta na festa de Ano Novo


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

Em outubro do mesmo ano, os rumores de uma possível volta ferveram as redes sociais quando os pombinhos foram vistos no maior love no casamento de Marina Ruy Barbosa, com direito até a algumas bitocas. 

Foi durante uma festa de Ano Novo realizada na pousada de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso em Fernando de Noronha, no entanto, que os dois reataram definitivamente. 

Leia também: Grife corta Bruna Marquezine de foto com Neymar e é criticada pelos fãs do casal

Um ano feliz (até então)


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

Com o decorrer dos meses em 2018, tudo estava bem, aparentemente. Os dois passaram por grandiosos momentos juntos, como a viagem de Bruna à França só para passar mais tempo com o rapaz em setembro, ou quando a atriz pintou o cabelo de loiro e gravou a reação do craque para todo mundo ver (e se divertir). 

O quarto término e o período atual


Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018
Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine e Neymar tiveram um relacionamento cheio de idas e vindas, de outubro de 2012 a outubro de 2018

O término do relacionamento entre Bruna Marquezine
e o jogador começou por meio de alguns boatos depois que a atriz foi vista em Fernando de Noronha sem aliança. Na noite da última quinta-feira (18), Bruna anunciou o rompimento da relação. De acordo com ela, ainda que não estejam mais juntos amorosamente, existe muito carinho e respeito entre ambos.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

A Voz do Brasil faz 85 anos

Publicado

O programa de rádio A Voz do Brasil completa 85 anos nesta quarta-feira (22). Idade avançada para pessoas e para instituições no Brasil. Uma frase atribuída a Leonardo da Vinci, que morreu idoso para o seu tempo (aos 67 anos), sentencia que “a vida bem preenchida torna-se longa”.

Em oito décadas e meia, A Voz do Brasil preencheu a vida dos ouvintes com notícias sobre 23 presidentes, em mandatos longínquos ou breves. Cobriu 12 eleições presidenciais, e manteve-se no ar durante a vigência de cinco constituições (1934, 1937, 1946, 1967 e 1988).

programa cobriu a deposição dos presidentes Getúlio Vargas (1945) e João Goulart (1964), o suicídio de Vargas (1954), a redemocratização do país em dois momentos (1946 e 1985), o impeachment e renúncia de Fernando Collor (1992) e o impeachment de Dilma Rousseff (2016).

Além de notícias dos palácios do governo federal, A Voz do Brasil levou aos ouvintes informações sobre a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O programa narrou as conquistas do país em cinco Copas do Mundo e a derrota em duas – a mais traumática em 1950. A Voz registrou a inauguração de Brasília (1960) e cobriu a morte de ídolos como Carmen Miranda (1955) e Ayrton Senna (1994).

Pelo rádio, e pela A Voz do Brasil, muitos brasileiros souberam da invenção da pílula anticoncepcional (1960), da descida do homem na Lua (1969), dos primeiros passos da telefonia móvel (1973), da queda do Muro de Berlim (1989) e da clonagem da ovelha Dolly (1998).

Leia mais:  Romance sem fim: Confira os momentos mais fofos das férias de Marina Ruy Barbosa

Vida longa

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF.
Inauguração da transmissão do programa A Voz do Brasil, Brasília, DF. – Arquivo Nacional

A longevidade do programa A Voz do Brasil é assunto de interesse de historiadores e pesquisadores da mídia de massa no país. “É curioso como um programa de rádio se torna uma constância em um país de inconstância institucional, jurídica e legislativa”, observa Luiz Artur Ferrareto, autor de dois dos principais livros de radiojornalismo editados no Brasil.

Leia mais:  Nasceu! Sabrina Sato dá à luz a sua primeira filha

Para Sonia Virginia Moreira, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a longa duração do programa “tem muito a ver com a própria longevidade do rádio como meio de comunicação. A morte do rádio foi anunciada várias vezes e ele segue como um veículo muito importante no Brasil.”

“Nenhum governo abriu mão dessa ferramenta fantástica. A longevidade vem da percepção que os diferentes governos tiveram que manter essa ferramenta era algo que trazia uma vantagem enorme para o governo do ponto de vista das suas estratégias e para seus objetivos”, acrescenta Henrique Moreira, professor de jornalismo e especialista em história da mídia no Brasil.

Curiosidades sobre A Voz do Brasil 

 A Voz Brasil nem sempre teve como trilha sonora de abertura trecho da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes. O Hino da Independência (1822), composto por Dom Pedro I, e Aquarela do Brasil (1939), de Ary Barroso, também serviram para marcar o início do programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana