conecte-se conosco


Sem categoria

Mais de 600 professores de MT se afastaram para tratar depressão e síndrome do pânico em 2018

Publicado

Um total de 2.022 professores se licenciaram para tratamento de saúde no ano passado e, destes, 667 estavam com depressão e pânico, segundo dados da Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag).

Apesar de alto, o índice houve redução de 17,5% das licenças, se comparado com 2017.

Transtornos mentais e comportamentais, como depressão, ansiedade e síndrome do pânico, são os que mais afetam os professores da educação básica, que representa 33% dos laudos.

No caso dessas patologias, o número de casos aumentou de 2015 para 2018. Em 2015, 29,8% se referiam a transtornos dessa natureza.

Os dados fazem parte do relatório de Absenteísmo por Doença Professores (2015-2018), levantado pela Coordenadoria de Perícia Médica da Secretaria de Planejamento e Gestão de Mato Grosso (Seplag).

Esses dados se referem aos registros de Licença para Tratamento de Saúde (LTS) no Sistema Estadual de Administração de Pessoal (Seap). Constam licenças de mais de três dias, englobando todas as doenças.

No âmbito do ensino superior, o percentual de professores da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) afastados para tratamento de saúde caiu de 10,3%, em 2015 para 7,9%, em 2018.

Leia mais:  Novo governo terá R$ 3,38 trilhões para administrar em 2019

Entretanto, com relação aos transtornos mentais e de comportamento, segundo os dados, os professores do ensino superior são os que mais sofrem com esses dois tipos de doença. O percentual de docentes licenciados para tratamento subiu de 30,8% dos casos, em 2015, para 35,2%, em 2018.Não passam pela perícia médica os servidores com licença de até 3 dias. Dessa forma, não são contabilizados no relatório.De acordo com a psicóloga Fabiana Barbosa, uma das razões do estresse excessivo e das síndromes comuns entre professores, por exemplo, é o fato de precisar lidar com pessoas diferentes, com muitas particularidades.

A diretora de uma escola de pública de Cuiabá, que pediu para não se identificada informou que na unidade onde ela trabalha, três professores estiveram de licença para tratamento de saúde, em especial, para tratar transtornos mentais.

Ela explicou ainda que alguns profissionais foram reabsorvidos no organograma, na modalidade “desvio de função”.A diretora afirmou ainda que, a maior parte dos profissionais acometidos por essas doenças, são muito envolvidos com trabalho, professores que buscam inovar na metodologia de ensino e que, muitas vezes, são “vencidos” pelo celular, pela falta de atenção do aluno. Enfim, fatores que acabam desmotivando a diminuindo a autoestima do profissional.

Leia mais:  Estilingue sendo reconhecido como modalidade desportiva em Mato Grosso

Na tentativa de reverter esse quadro dentro da educação pública e promover melhorias no ambiente de trabalho do servidor, a Seplag iniciou, em 2017, a implantação do Programa de Atenção à Saúde Mental.

A princípio, o projeto-piloto foi implantado nas secretarias estaduais de Planejamento e Gestão (Seplag), Segurança Pública (Sesp), Fazenda (Sefaz), Assistência Social e Cidadania (Setac) Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Controladoria Geral do Estado (CGE) e Polícia Judiciária Civil (PJC).

O programa tem o objetivo de identificar os fatores, dentro do ambiente de trabalho, que possam provocar mal estar e sofrimento aos servidores. Assim, é possível desenvolver ações preventivas que possibilitem a redução dos casos de afastamento de funcionários.

O programa é desenvolvido por uma equipe multiprofissional composta por psicólogo, assistente social e enfermeiro.

Por: G1

Comentários Facebook
publicidade

Sem categoria

Bolsonaro participa de entrega de obra em MT

Publicado

por

Para por fim a guerra de palavras com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o governador Mauro Mendes (DEM) vai acompanhar o chefe maior da nação na entrega do trecho de 51 quilômetros da BR-163 que liga Moraes Almeida a Novo Progresso, no Pará.

 

O único trecho que ainda não era pavimentado entre Sinop (um das cidades mais produtoras de Mato Grosso) e Miritituba (PA) onde fica estão localizados portos de escoamento da produção. O asfalto foi concluído pelo Exécito Brasileiro, depois de uma promessa do ministro Tarcísio Freitas de que não faltariam recursos para concluir o trecho.

 

O presidente havia feito no início do mês um desafio aos governadores para cortar, ou mesmo, mudar a forma de tributação dos combustíveis. Mauro Mendes foi um dos que responderam ao desafio e disse que cortadia se houver a compensação real das perdas da Lei Kandir e o pagamento do FEX ao Estado (os valores de 2018 e 2019 não foram pagos pela União).

 

Leia mais:  Univag abre inscrições para vestibular de Medicina 2019/2

O ministro da Economia, Paulo Guedes e os governadores decidiram tratar o tema na reforma tributária que está no Congresso.

Este será o primeiro encontro entre os dois depois da troca de farpas.

 

Bolsonaro em Mato Grosso também é esperado por conta da eleição suplementar ao Senado. Partidos e candidatos se movimentam para ter o apoio do presidente, ao mesmo tempo, outra corrente bolsonarista quer que presidente fique neutro.

 

O presidente deve descer em Sinop e seguir até o ponto de inauguração da rodovia. No ano passado, Jair Bolsonaro esteve na cidade de Barra do Garças, lançando projeto na área ambiental.

Comentários Facebook
Continue lendo

Deixe sua Opinião

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora ?

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana