conecte-se conosco


Política

13 deputados garantem que votaram a favor dos inativos

Publicado

Menos de 24 horas após a votação que manteve a cobrança previdenciária de 14% sobre os aposentados em Mato Grosso, uma ‘recontagem’ feita com votos declarados por deputados estaduais apontaria para um resultado inverso do que foi registrado em plenário.

Por 12 votos a 11, os parlamentares mantiveram o veto do governo do Estado ao projeto de lei que pretendia isentar os inativos do desconto previdenciário. Ocorre que, no dia seguinte à votação, 13 deputados declararam publicamente votos contra o governo e favoráveis aos aposentados (confira no quadro ao lado).

Como em qualquer filme de conspiração, a quinta-feira foi tensa entre os parlamentares, pois cada um queria descobrir se o colega votou ou não para derrubar o veto ao PLC 36/2020 que acabava com alíquota de 14% cobrada de aposentados que recebem a partir de R$ 3 mil.

O texto, de autoria do deputado Lúdio Cabral (PT), corrigia a reforma da previdência aprovada pelo governo, que criou a alíquota. O veto do governo ao projeto de Lúdio foi mantido, em votação secreta, quando 12 deputados votaram para manter o veto e 11 deputados votaram para derrubar.

Leia mais:  LOA não prevê recursos para Hospital Materno Infantil e vereador destina emenda

Um levantamento feito pelo jornal A Gazeta mostra, porém, que pelo menos dois deputados estão faltando com a verdade sobre a forma como votaram na votação sigilosa. Isto porque 13 deputados afirmaram, em suas redes sociais ou em entrevista ao jornal, que não votaram a favor do governo e que seus votos foram para derrubar o voto.

 

Declaram ter votado contra o veto e a favor dos aposentados os parlamentares: Lúdio Cabral (PT), Janaina Riva (MDB), Delegado Claudinei (PSL), Silvio Fávero (PSL), Valdir Barranco (PT), Elizeu Nascimento (DC), Faissal Calil (PV), Allan Kardec (PDT), Paulo Araújo (PP), Ulysses Moraes (DC), João Batista do Sindspen (Pros), Thiago Silva (MDB) e Wilson Santos (PSDB).

 

Àvido por respostas sobre a votação, o servidor público afetado pela decisão dos parlamentares esbarrou na sigilosidade da votação. Ainda assim, choveram listas pelas mídias sociais de quem havia votado contra e quem havia votado a favor. Por conta disso, a confusão sobre o resultado aumentou e, nos bastidores da Assembleia, a tensão lembrou mesmo a tensão de um banguebangue, principalmente no grupo de mensagens por celular dos deputados, onde teve bate-boca, acusações mútuas de inconfidencialidade e tentativas frustradas de descobrir o voto um do outro.

Comentários Facebook
publicidade

Política

De na Folha de SP; Secretário de saúde pede ‘socorro’ a outros estados e tem pedido negado

Publicado

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, pediu socorro a lideranças de outros estados para que atendam aos pacientes com covid-19 que estão na fila de espera por Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Contudo, apesar da demanda, o pedido foi negado.

A assessoria da Secretaria de Estado de Saúde confirmou a solicitação e emitiu nota sobre o caso. Confira o comunicado na íntegra abaixo:

“A Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso (SES-MT) informa que solicitou o auxílio dos demais estados da federação para a possível transferência de pacientes com a Covid-19. Até o momento, não houve confirmação oficial por parte dos estados.

Atualmente, Mato Grosso registra 59 pacientes com Covid-19 à espera de um leito de Terapia Intensiva. É importante frisar que, considerando a universalidade do Sistema Único de Saúde (SUS), o estado de Mato Grosso prestou assistência aos pacientes de Rondônia em janeiro deste ano e cedeu UTIs para o tratamento de pessoas que esperavam por uma vaga.”

 

Comentários Facebook
Leia mais:  Audiência Pública para debater a CPI da Energisa acontece à luz de velas
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana