21 de outubro de 2018 - 16:42

Política

06/08/2018 11:31 Por Olhar Direto - Olhando a Notícia

Welington Fagundes se apresenta como legítima oposição na disputa pelo Governo de MT

Ele criticou o governo "absolutista" de Pedro Taques e anunciou a advogada Sirlei Theis (PV) como candidata a vice-governadora

O senador Wellington Fagundes (PR) oficializou candidatura ao Governo de Mato Grosso na tarde deste domingo (5) com críticas a gestão Pedro Taques (PSDB) e uma alfinetada em Mauro Mendes (DEM). Ele classificou a atual gestão como "absolutista e sectária" e ainda afirmou que é a verdadeira oposição, em referência ao projeto do democrata, que é repleto de ex-aliados de Taques. 


"Na campanha passada eu não estive na oposição já que entendi que não poderia governar com absolutismo, com sectarismo. "Na diplomação eu disse ao governador 'eu quero aqui estender a minha mão para ajudar o seu governo porque o seu governo é de todos nós. O sucesso de qualquer governo é sucesso de todos'. E ele me disse que  que não precisava de senador. Não aceitei. Tenho responsabilidades. O voto de confiança é do eleitor e temos de retribuir", discursou.


Fagundes ainda garantiu que irá olhar para trás e avaliou que Taques quis excluir a classe política. Asseverou que sua oposição será construtiva e não irá descambar para o pessoal, como vem presenciando por parte do atual governador. 


Minutos após chegar a convenção do Partido da República, Welington Fagundes defendeu que o diálogo será a mola propulsora de seu governo, caso eleito. Asseverou ainda que não é um homem de briga, mas de luta, além de garantir uma campanha limpa. "Vamos fazer campanha de propostas, de alto nível e sendo, acima de tudo, obediente à lei". 


"Aquilo que nós esperávamos foi feito. Com muito trabalho, cautela. Fizemos com paciência. Alguns não acreditavam que seria possível. Fizemos a maior aliança e sempre disse. Uma aliança  confiável que trouxesse segurança à população e que pudesse mostrar na unidade". Fagundes tem como vice-governadora a advogada Sirlei Theis (PV). 


Fagundes ainda garantiu que não possui vínculos que irão resultar na disputa de cargos ou loteamentos por siglas em sua gestão. "Fizemos uma aliança sem gastos, sem compromissos com um e outro. Só temos o compromisso de governar bem e fazer cada cidadão se sentir participante desse projeto".  E continuou: "não fechamos a porta para ninguém. Será uma campanha de alto nível, de propostas". 


Ele defendeu ainda que sua experiência e conhecimento real da situação do Estado, lhe garantem um governo pautado na gestão humanizada. 


"Queremos fazer as mudanças necessárias. Um governo que possa olhar, acima de tudo,  o ser humano. A aliança foi construída pensando nas pessoas. Esse é o nosso propósito. Estamos aqui  para festejar. Aliança extremamente democrática, com a participação de todos os segmentos políticos e econômicos. Estamos aqui com  tranquilidade".  
Quando indagado sobre ter o maior tempo de TV ele declara que o horário eleitoral será muito bem aproveitado, seguindo a premissa de que terá um plano, realmente, exequível.


"Será da melhor maneira possível. Vamos continuar indo aos municípios, conversando com as pessoas. Para fazer um governo onde o cidadão saiba que esse governo terá equilíbrio para priorizar as pessoas". 


Em sua fala ele ainda criticou a gestão do Executivo em desburocratizar para garantir o desenvolvimento do Estado. "O governo não pode ser atrapalhador. Temos de ser governantes e quero ser esse tipo, o de ajudar a quem produz, mas é claro que nós precisamos ajudar o menor, o pequeno". 
Chapa 
Concorrem ao Senado pela chapa "A Força da União", Adilton Sachetti (PRB), na primeira suplência ao Senado, o ex-prefeito Chico Galindo (PTB), de Cuiabá, e ex-presidente da Associação das Primeiras-Damas Municipais (APDM), Alessandra Abreu Nicoli (PRB), de Santa Carmem.


Copyright 2016 -  Todos os direitos reservados

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo