18 de outubro de 2018 - 03:30

Política

28/05/2018 17:44

REUNIÃO NO PAIAGUÁS; Caminhões com combustíveis estão parados em rodovias de MT; poderes estudam suspender expediente toda semana

Índices de violência têm redução diante da situação caótica

O governador Pedro Taques comandou, na manhã desta segunda-feira uma nova reunião com o comitê de gerenciamento de crise buscando ações para evitar o agravamento da crise do abastecimento, por conta da paralisação dos caminhoneiros em todo país. A reunião desta manhã contou com a participação do presidente do Tribunal de Justiça, Rui Ramos, e do presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho.

“Mais uma reunião do Gabinete para resolução da crise, tivemos um apanhado da situação de ontem até agora e segundo informações das agências e segurança, não se alterou o quadro, mesmo em razão das determinações que foram tomadas em Brasília. Até este instante, a situação ainda é a mesma. Daqui até às 17h temos grupos de trabalho (criados desde ontem) nas áreas: saúde, combustíveis, abastecimentos de alimentos”, explicou.

O governador avaliou um panorama da situação em Mato Grosso, o índice de criminalidade diminuiu e não houve homicídios em Cuiabá e Várzea Grande. O secretário de Estado de Segurança Pública, Gustavo Garcia, informou que a segurança está imbuída em garantir os serviços essenciais para a população.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está dando todo o suporte na questão de segurança nas rodovias, ainda está trabalhando na escolta de combustíveis para abastecer as principais cidades do estado. A PRF informou o governador que ainda não houve o fim da greve porque a demanda dos caminhoneiros autônomos ainda não foi atendida.

Outra questão que preocupa o Estado é quanto aos animais, o governo elaborou um adesivo que será fixado nos caminhões que transportam animais para o abate e/ou rações. O adesivo destaca a importância da carga e evitará o desabastecimento. “Vamos tentar convencer, individualmente, os caminhoneiros e empresas que são responsáveis pelas rações e cargas vivas a usarem esse adesivo e abastecer as granjas de aves e suínos, com escolta das forças policiais. Isso já começa a partir de hoje (28). Não temos notificação de morte de suínos por falta de alimentação. No caso das aves sim. Não por falta de alimentação, mas porque elas não estão saindo das granjas para abate. Então acabam morrendo por falta de espaço e pelo calor”, pontuou.

O governador também ouviu o setor de combustíveis, participaram representantes da Raízem (Shell+Cosan), BR Distribuidora e Ipiranga, as maiores no setor. Eles destacaram que há caminhões parados na rodovia, mas necessitam de escolta para fazer esse abastecimento. Juntas as três bandeiras representam 90% do combustível consumido em Mato Grosso.

O diretor executivo do Sindalcool, Jorge dos Santos, também participou da reunião de trabalho e disse que por carência de óleo diesel, que movimenta o transporte da cana, a maioria das plantas está paralisada por não tem a matéria-prima para a produção. “Também não estamos conseguindo mandar o combustível para os postos. Com as ações definidas aqui no gabinete de crise, a partir de hoje devemos escoltar os caminhões de combustíveis para os postos. Tendo em vista que todos os pedidos da categoria foram atendidos pelo governo federal, a expectativa é que agora tudo volte ao normal, o que deve levar de dois a três dias após a finalização da paralisação. Em Mato Grosso, temos onze usinas, que produzem cerca de 150 milhões de litros de etanol ao mês”, completou.

Também participaram desta reunião os representantes dos serviços essenciais, Energisa (energia), Águas Cuiabá (água em Cuiabá) e Oi (telefonia). Na telefonia, são 350 veículos e a maioria já está sem combustível, os serviços de atendimentos do setor público foram priorizados. A mesma coisa está na questão da água e da energia. Outra preocupação elencada foi com o gás de cozinha, as forças de segurança do estado, também a PRF e o Exército, vão fazer a escolta do produto para garantir o abastecimento.

Na saúde, a equipe da Secretaria de Estado de Saúde (SES) decidiu interromper as cirurgias eletivas. Só serão feitas as cirurgias emergenciais pelos próximos dois dias. As 10 ambulâncias do Samu precisam de 300 litros de abastecimento, ainda nessa questão, não houve problema registrado quando ao TFD (Tratamento Fora do Domicílio) e no serviço de UTI aérea. “Nossa maior preocupação é com a saúde. Estamos em contato com as secretarias municipais de saúde do estado todo, para garantir sangue no Hemocentro, soro, e outros insumos nas unidades de saúde. Ontem (27), por exemplo, faltou gás no Hospital Regional de Sorriso e um trabalho em conjunto do Gabinete de crise conseguiu sanar esse problema na madrugada”, pontuou Pedro Taques.

O presidente do TJ-MT, desembargador Rui Ramos, disse que as desigualdades do estado levaram o Judiciário a manter apenas os serviços de plantão do Poder. Segundo ele, o Judiciário do Brasil todo está empenhado no fim da crise e na correção de rumos.  

Juntos, os dirigentes dos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) vão definir em conjunto a decretação de ponto facultativo nesta terça e quarta-feira (29 e 30.05), na quinta-feira (31.05) já é feriado nacional (Corpus Christi) e na sexta-feira (01.06) já é ponto facultativo.


Copyright 2016 -  Todos os direitos reservados

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo