21 de outubro de 2018 - 15:25

Polícia

18/06/2018 11:01

Drone deve ser usado pela PM durante operações da Lei Seca em MT

Equipamento amplia campo de visão da polícia durante blitz e ajuda em flagrantes, como motoristas que trocam de posição antes da abordagem ou que tentam fugir da operação.

Polícia Militar deve usar um drone durante as blitze da Lei Seca em Mato Grosso, a fim de aplicar o campo de visão durante as operações e, dessa forma, coibir fugas e flagrar condutores que tentam driblar, de alguma forma, a fiscalização.

O equipamento, que ainda não tem prazo para começar a ser utilizado, faz parte do investimento em tecnologia por parte da Segurança Pública, como já ocorreu com a adoção de câmeras GoPro, segundo a PM, e também deve ser utilizado durante grandes eventos no estado.

Segundo o tenente Alcides Dutra, do Batalhão de Trânsito da PM, 10 profissionais das forças de segurança foram capacitados para operar o drone, dentre eles, oito policiais militares.

"Hoje usamos as câmeras, que registram as imagens durante as operações, para evitar que os condutores afirmem que estavam com um comportamento diferente do que realmente estavam", afirmou.

De acordo com a pm, em uma fila extensa de veículos parados, poderão ser flagrados, por exemplo, motoristas que dirigem embriagados e trocam com o passageiro na direção no momento da abordagem ou pessoas que jogam bebidas, armas e drogas pelas janelas antes de serem parados pela polícia.

As imagens do drone poderão ser usadas como provas, segundo o tenente da PM e, além disso, podem auxiliar no planejamento da polícia para verificar os locais em que há uma concentração maior de veículos.

"Também ajuda a resguardar a ação policial, para que o policial tenha respaldo e ninguém diga algo que realmente não tenha acontecido", disse.

Por: 

Polícia Militar deve usar um drone durante as blitze da Lei Seca em Mato Grosso, a fim de aplicar o campo de visão durante as operações e, dessa forma, coibir fugas e flagrar condutores que tentam driblar, de alguma forma, a fiscalização.

O equipamento, que ainda não tem prazo para começar a ser utilizado, faz parte do investimento em tecnologia por parte da Segurança Pública, como já ocorreu com a adoção de câmeras GoPro, segundo a PM, e também deve ser utilizado durante grandes eventos no estado.

Segundo o tenente Alcides Dutra, do Batalhão de Trânsito da PM, 10 profissionais das forças de segurança foram capacitados para operar o drone, dentre eles, oito policiais militares.

"Hoje usamos as câmeras, que registram as imagens durante as operações, para evitar que os condutores afirmem que estavam com um comportamento diferente do que realmente estavam", afirmou.

De acordo com a pm, em uma fila extensa de veículos parados, poderão ser flagrados, por exemplo, motoristas que dirigem embriagados e trocam com o passageiro na direção no momento da abordagem ou pessoas que jogam bebidas, armas e drogas pelas janelas antes de serem parados pela polícia.

As imagens do drone poderão ser usadas como provas, segundo o tenente da PM e, além disso, podem auxiliar no planejamento da polícia para verificar os locais em que há uma concentração maior de veículos.

"Também ajuda a resguardar a ação policial, para que o policial tenha respaldo e ninguém diga algo que realmente não tenha acontecido", disse.

por: 

Polícia Militar deve usar um drone durante as blitze da Lei Seca em Mato Grosso, a fim de aplicar o campo de visão durante as operações e, dessa forma, coibir fugas e flagrar condutores que tentam driblar, de alguma forma, a fiscalização.

O equipamento, que ainda não tem prazo para começar a ser utilizado, faz parte do investimento em tecnologia por parte da Segurança Pública, como já ocorreu com a adoção de câmeras GoPro, segundo a PM, e também deve ser utilizado durante grandes eventos no estado.

Segundo o tenente Alcides Dutra, do Batalhão de Trânsito da PM, 10 profissionais das forças de segurança foram capacitados para operar o drone, dentre eles, oito policiais militares.

"Hoje usamos as câmeras, que registram as imagens durante as operações, para evitar que os condutores afirmem que estavam com um comportamento diferente do que realmente estavam", afirmou.

De acordo com a pm, em uma fila extensa de veículos parados, poderão ser flagrados, por exemplo, motoristas que dirigem embriagados e trocam com o passageiro na direção no momento da abordagem ou pessoas que jogam bebidas, armas e drogas pelas janelas antes de serem parados pela polícia.

As imagens do drone poderão ser usadas como provas, segundo o tenente da PM e, além disso, podem auxiliar no planejamento da polícia para verificar os locais em que há uma concentração maior de veículos.

"Também ajuda a resguardar a ação policial, para que o policial tenha respaldo e ninguém diga algo que realmente não tenha acontecido", disse.

Polícia Militar deve usar um drone durante as blitze da Lei Seca em Mato Grosso, a fim de aplicar o campo de visão durante as operações e, dessa forma, coibir fugas e flagrar condutores que tentam driblar, de alguma forma, a fiscalização.

O equipamento, que ainda não tem prazo para começar a ser utilizado, faz parte do investimento em tecnologia por parte da Segurança Pública, como já ocorreu com a adoção de câmeras GoPro, segundo a PM, e também deve ser utilizado durante grandes eventos no estado.

Segundo o tenente Alcides Dutra, do Batalhão de Trânsito da PM, 10 profissionais das forças de segurança foram capacitados para operar o drone, dentre eles, oito policiais militares.

"Hoje usamos as câmeras, que registram as imagens durante as operações, para evitar que os condutores afirmem que estavam com um comportamento diferente do que realmente estavam", afirmou.

De acordo com a pm, em uma fila extensa de veículos parados, poderão ser flagrados, por exemplo, motoristas que dirigem embriagados e trocam com o passageiro na direção no momento da abordagem ou pessoas que jogam bebidas, armas e drogas pelas janelas antes de serem parados pela polícia.

As imagens do drone poderão ser usadas como provas, segundo o tenente da PM e, além disso, podem auxiliar no planejamento da polícia para verificar os locais em que há uma concentração maior de veículos.

"Também ajuda a resguardar a ação policial, para que o policial tenha respaldo e ninguém diga algo que realmente não tenha acontecido", disse.

por: G1

 


Copyright 2016 -  Todos os direitos reservados

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo